Agentes biológicos para o tratamento da artrite reumatoide: um panorama das revisões Cochrane

Este resumo de revisões da Cochrane apresenta o conhecimento atual da pesquisa sobre os efeitos de agentes biológicos na artrite reumatoide (AR).

A revisão mostra que, em pessoas com AR:

      -  O abatacepte, o adalimumabe, o etanercepte, o infliximabe e o rituximabe provavelmente melhoram os sinaisde artrite reumatoide, como por exemplo, o número de juntas inchadas ou dolorosas, e outros desfechos, como dor e incapacidade.

      -  O anakinra provavelmente melhora os sinais de artrite reumatoide, como o número de juntas inchadas ou dolorosas, e outros desfechos, como dor e incapacidade (mas não tão bem quanto os outros remédios). 

Nós não temos informações exatas sobre os possíveis efeitos colaterais e complicações do uso desses remédios. Isso é verdade especialmente em relação aos efeitos colaterais raros, mas graves. Os possíveis efeitos colaterais do uso desses remédios incluem infecções graves ou infecções das vias aéreas superiores. As complicações raras podem incluir tambémcertos tipos de câncer. 

O que é a artrite reumatoide (AR) e o que são agentes biológicos?

Quando você tem artrite reumatoide, o sistema imunológico, que normalmente combate infecções, passa a atacar os tecidos de suas articulações, tornando-os inflamados. Essa inflamação deixa as articulações quentes, inchadas, rígidas e doloridas. As pequenas articulações das suas mãos e pés geralmente são afetadas primeiro. Se a inflamação permanecer sem tratamento, pode levar a danos nas articulações.  Uma vez que a articulação estiver danificada, ela não pode ser reparada, de modo que o tratamento precoce da artrite reumatoide é essencial.

Os agentes biológicos são um grupo de medicamentos que inibem o sistema imunológico e reduzem a inflamação nas articulações. Se por um lado a inibição do sistema imunológico poder dificultar um pouco a batalha do nosso corpo contra as infecções, por outro lado isso ajuda a estabilizar a resposta excessiva do sistema imunológico. Ao reduzir a inflamação, pretende-se prevenir lesões nas articulações.

Melhor estimativa do que acontece com as pessoas com artrite reumatoide que tomam agentes biológicos:

ACR 50 (número de articulações dolorosas ou inchadas e outros aspectos da artrite reumatoide avaliados pelo médico ou paciente)

Entre aqueles que tomaram o abatacepte, 44 pessoas em 100 apresentaram melhora dos sinais de artrite reumatoide em comparação com 21 de 100 pessoas que tomaram o placebo (23% de melhora absoluta).

Entre os que tomaram o adalimumabe, 49 pessoas em 100 apresentaram melhora nos sinais de artrite reumatoide em comparação com 21 de 100 pessoas que tomaram o placebo (28% de melhora absoluta).

Entre os que tomaram o anakinra, 30 pessoas em 100 apresentaram melhora nos sinais de artrite reumatoide em comparação com 21 de 100 pessoas que tomaram o placebo (9% de melhora absoluta).

Entre os que tomaram o etanercepte, 57 pessoas em 100 apresentaram melhora nos sinais de artrite reumatoide em comparação com 21 de 100 pessoas que tomaram o placebo (36% de melhora absoluta).

Entre os que tomaram o infliximabe, 43 pessoas em 100 apresentaram melhora nos sinais de artrite reumatoide em comparação com 21 de 100 pessoas que tomaram o placebo (22% de melhora).

Entre os que tomaram o rituximabe, 52 pessoas em 100 apresentaram melhora nos sinais de artrite reumatoide em comparação com 21 de 100 pessoas que tomaram o placebo (31% de melhora).

Efeitos colaterais

Entre as pessoas que tomaram o adalimumabe, 8 pessoas em 100 abandonaram o estudo por causa dos efeitos colaterais em comparação com 5 pessoas de 100 que tomaram o placebo (3% de diferença absoluta).

Entre os que tomaram o anakinra, 9 pessoas em 100 abandonaram o estudo por causa dos efeitos colaterais em comparação com 5 pessoas de 100 que tomaram o placebo (4% de diferença absoluta).

Entre os que tomaram o infliximabe, 11 pessoas em 100 abandonaram o estudo por causa dos efeitos colaterais em comparação com 5 pessoas de 100 que tomaram o placebo (6% de diferença absoluta). 

Houve pouca ou nenhuma diferença no número de pessoas que desistiram do estudo por causa de efeitos colaterais nos grupos que tomaram abatacepte, etanercepte e rituximabe ou que tomaram o placebo (pílula falsa).

Conclusão dos autores: 

De acordo com as comparações indiretas, o anakinra pareceu ser menos eficaz do que o etanercepte e o adalimumabe. O etanercepte parece causar menos abandonos devido a eventos adversos do que o adalimumabe, o anakinra e o infliximabe. Devido a heterogeneidade significativa nas características das populações envolvidas nos estudos, recomenda-se que esses resultados devam ser interpretados com cautela. Os resultados podem fornecer informações aos médicos e pacientes no momento da escolha do agente biológico para o tratamento da AR.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Os medicamentos biológicos antirreumáticos modificadores da doença (DMARDs) são muito efetivos no tratamento da artrite reumatoide (AR). Porém, há uma carência de estudos comparando esses medicamentos entre si (estudos “head-to-head” ou de comparação entre duas intervenções entre si).

Objetivos: 

Comparar a eficácia e a segurança do abatacepte, adalimumabe, anakinra, etanercepte, infliximabe e rituximabe em pacientes com AR.

Métodos: 

Este panorama (overview) de revisões sistemáticas foi realizado a partir da inclusão de todas as revisões Cochrane sobre agentes biológicos para tratamento da AR disponíveis na Cochrane Library.Nós incluímos apenas dados sobre regimes de dosagem padrão para esses DMARDs, e que fossem provenientes de estudos controlados com placebo. Os desfechos primários de eficácia e segurança foram o ACR50 e o abandono do tratamento devido a eventos adversos. Nós calculamos o odds ratio (OR) para os desfechos de eficácia e segurança. Combinamos as estimativas dos eventos entre os grupos placebo para calcular a taxa de eventos de controle (CER) esperada. As comparações indiretas dos biológicos foram realizadas para a eficácia e segurança, usando um modelo hierárquico linear generalizado misto (MLGM), que integra a característica mais importante do estudo (isto é, tipo de biológico) como um fator fixo e o estudo e a interação dos medicamentos do estudo como fatores aleatórios.

Resultados principais: 

Das seis revisões Cochrane disponíveis, obtivemos dados de sete estudos sobre abatacepte, oito sobre adalimumabe, cinco sobre anakinra, quatro sobre etanercepte, quatro sobre infliximabe e três sobre rituximabe.

As estimativas de comparação indireta mostraram eficácia semelhante para o desfecho primário de eficácia para todos os biológicos, com três exceções. O anakinra foi menos eficaz do que o etanercepte com uma razão de ORs (IC 95%; valor P) de 0,34 (0,14 - 0,81; P= 0,015). De forma similar, o adalimumabe foi mais eficaz do que o anakinra, 2,20 (1,01 - 4,75; P= 0,046).

Em termos de segurança, houve maior probabilidade de abandono do tratamento com o adalimumabe em comparação com o etanercepte, com uma razão de ORs de 1,89 (1,18-3,04; P=0,009); maior abandono com anakinra do que com o etanercepte, 2,05 (1,27-3,29; P=0,003); e menor abandono com o etanercepte do que com o infliximabe, 0,37 (0,19-0,70; P=0,002).

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Cochrane do Brasil (Aline de Gregori Adami)

Tools
Information
Share/Save