Formas de controlar infecções para prevenir a propagação do Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) em asilos de idosos

O MRSA é um tipo de bactéria que pode causar infecção, especialmente nas pessoas que estão hospitalizadas. O MRSA está agora tornando-se um problema para os idoso que vivem em instituições de longa permanência de idosos (popularmente conhecidas como asilos). Os asilos de idosos são locais ideais para a propagação do MRSA. Nos asilos, os idosos vivem próximos uns dos outros, muitos têm diversas outras doenças (comorbidades), recebem várias prescrições de antibióticos, e alguns podem ter escaras de decúbito (feridas na pele por ficaram muito tempo deitados) e ter que usar dispositivos médicos como por exemplo sondas. Todos esses fatores aumentam o risco dos idosos adquirirem MRSA, e consequentemente seu risco de morte.

Há estudos sobre várias maneiras diferentes de prevenir a propagação do MRSA, especialmente em hospitais. Porém encontramos apenas um estudo que avaliou se um programa de educação e treinamento para controle de infecções modificaria a propagação do MRSA em asilos de idosos. Este estudo mostrou que não havia diferença entre o grupo envolvido no programa comparado ao grupo que continuou com a sua prática habitual.

Embora haja alguma evidência de técnicas que funcionam bem para prevenir a propagação do MRSA no hospital, não está claro se essas abordagens funcionarão nos asilos. É necessário fazer mais estudos para descobrir o que pode funcionar nos asilos.

Conclusão dos autores: 

Há uma falta de estudos sobre os efeitos das estratégias de prevenção e controle de infecções para prevenir a transmissão do MRSA em asilos de idosos. É necessário realizar estudos rigorosos em asilos de idosos, envolvendo residentes e funcionários, para testar intervenções concebidas especificamente para este tipo de ambiente.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

As instituições de longa permanência de idosos são um ambiente propício para a aquisição e propagação do Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA), o que aumenta o risco dos idosos serem colonizados e infectados. As estratégias de prevenção e controle de infecções são importantes para prevenis e controlar a transmissão do MRSA.

Objetivos: 

Avaliar os efeitos de estratégias de prevenção e controle de infecções para prevenir a transmissão do MRSA em asilos de idosos.

Estratégia de busca: 

Esta é a terceira a atualização desta revisão. Em agosto de 2013 fizemos buscas nas seguintes bases de dados: Wounds Group Specialised Register, Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL, The Cochrane Library), Database of Abstracts of Reviews of Effects (DARE, The Cochrane Library), Ovid MEDLINE, OVID MEDLINE (In-process and Other Non-Indexed Citations), Ovid EMBASE, EBSCO CINAHL, Web of Science e no website Health Technology Assessment (HTA). Fizemos buscas por estudos em andamento nas seguintes bases: Current Clinical Trials, Gateway to Reseach e HSRProj (Health Services Research Projects in Progress).

Critérios de seleção: 

Incluímos todos os ensaios clínicos randomizados controlados, estudos controlados antes e depois, e estudos de série temporal interrompida que avaliaram intervenções para prevenção e controle de infecções em asilos.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores, trabalhando de forma independente, avaliaram os resultados das buscas. Outro autor da revisão avaliou os trabalhos identificados e extraiu os dados, o que foi verificado por um segundo autor de revisão.

Resultados principais: 

Nesta terceira atualização da revisão, identificamos apenas um estudo. Portanto não foi possível realizar uma meta-análise. Um estudo controlado randomizado tipo cluster envolvendo 32 asilos para idosos avaliou o efeito de um programa de educação e treinamento de controle de infecção sobre a prevalência do MRSA. Os desfechos primários foram prevalência do MRSA nos residentes e nos funcionários, e mudança nos escores de auditoria de controle de infecção (que avalia a adesão aos padrões de controle de infecção). Ao final do estudo de 12 meses, não houve diferença na prevalência do MRSA entre os locais de intervenção versus controle, enquanto os escores médios de auditoria de controle de infecção foram significativamente mais altos nos asilos que receberam a intervenção em comparação com aqueles que não receberam a intervenção.

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Afiliado Rio de Janeiro / Faculdade de Medicina de Petrópolis, Cochrane Brazil (Clara Nogueira e Maria Regina Torloni). Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save