Coleção Especial: Coronavírus (COVID-19): medidas para o controle e a prevenção de infecções

(Publicada pela primeira vez em 4 de março de 2020 e atualizada de forma contínua; última atualização em 20 de março de 2020)

Esta Coleção Especial é uma das duas coleções da COVID-19. Esta traz evidências relevantes sobre medidas de prevenção e controle de infecções. Veja também a outra Coleção Especial: Coronavírus (COVID-19): evidências relevantes para os pacientes que precisam de cuidados intensivos.

Esta Coleção Especial está também disponível em Chinês simplificado, Farsi, Francês, Japonês, Malaio bahasa, Português, Russo, e Espanhol.

Esta Coleção Especial foi criada em resposta à pandemia da COVID-19, e é atualizada periodicamente. Visa assegurar o acesso imediato às revisões sistemáticas mais relevantes para a prevenção de infecções. Inclui revisões que são relevantes para a diretriz interina da OMS, assim como outras revisões potencialmente relevantes de três Redes Cochrane: Cochrane Saúde Pública e Sistemas de Saúde; Cochrane Músculo-esquelética, Oral, Pele e Sensorial; e Cochrane Cuidados Agudos e de Emergência, e também recorre ao conhecimento dos grupos Cochrane nas regiões afetadas. Muitas revisões da coleção também têm Cochrane Clinical Answers; quando aplicável, indicamos esses links.

Os diferentes tipos de patógenos e seus modos de transmissão, em comparação com o que se conhece atualmente sobre a COVID-19, podem limitar a aplicabilidade das evidências resumidas nestas revisões. Por favor, note que as revisões incluídas nesta Coleção Especial apenas resumem evidências. Sua inclusão na Coleção não significa que as intervenções avaliadas sejam medidas preventivas eficazes.

 

Intervenções físicas para interromper ou reduzir a propagação de vírus respiratórios 

As epidemias virais ou as pandemias de infecções respiratórias agudas, como a influenza ou a síndrome respiratória aguda grave, são uma ameaça global. Os medicamentos antivirais e as vacinas podem ser insuficientes para evitar a propagação. Esta revisão avaliou a efetividade das intervenções físicas para interromper ou reduzir a propagação de vírus respiratórios. Cochrane Clinical Answer relevante: As intervenções físicas podem interromper ou reduzir a propagação de vírus respiratórios?

Intervenções para aumentar a adesão à higiene das mãos durante os cuidados de saúde ao paciente

As infecções associadas aos cuidados de saúde são uma das principais causas de morbimortalidade. A higiene das mãos é considerada uma medida preventiva eficaz. Esta revisão avaliou o sucesso, no curto e longo prazo, das estratégias para aumentar a adesão às recomendações para a higiene das mãos, e se um aumento na adesão à higiene das mãos pode reduzir as taxas de infecções associadas aos cuidados de saúde. Cochrane Clinical Answer relevante Quais são os efeitos das campanhas multimodais para melhorar a higiene das mãos dos profissionais de saúde? e Quais são os efeitos do feedback de desempenho, da educação e dos lembretes olfativos/visuais sobre a higiene das mãos dos profissionais de saúde?

Como melhorar a aderência dos profissionais de saúde às Precauções Padrão para o controle de infecções associadas aos cuidados de saúde

As "Precauções Padrão" são um conjunto de ações (como o uso de equipamento de proteção individual ou o manejo seguro de agulhas) que os profissionais de saúde seguem para reduzir a propagação de germes em ambientes de cuidados de saúde, como hospitais e asilos. Esta revisão avaliou a efetividade de intervenções dirigidas aos profissionais de saúde para melhorar a aderência às Precauções Padrão nos cuidados ao paciente.

Equipamento de proteção individual para profissionais de saúde para prevenir doenças altamente contagiosas pela exposição a fluidos corporais contaminados 

Em epidemias de doenças altamente contagiosas, como a Doença do Vírus Ebola (EVD) ou a Síndrome Respiratória Aguda (SRA), os profissionais de saúde correm um risco de infecção muito maior do que a população em geral, devido ao seu contato com os fluidos corporais contaminados dos pacientes. O uso de equipamento de proteção individual (EPI) no contato com os pacientes pode reduzir esse risco. Esta revisão avaliou que tipo de EPI de corpo inteiro, e que método de colocação e retirada de um EPI, tem o menor risco de auto-contaminação ou infecção pelo profissional. Avaliou também que métodos de treinamento aumentam aderência dos profissionais de saúde aos protocolos de uso de EPI. Cochrane Clinical Answer relevante: Que tipo de equipamento de proteção individual (EPI), e que intervenções para aumentar a utilização de EPI pelos trabalhadores da saúde, ajudam a reduzir a propagação de doenças altamente infecciosas?

Luvas, capotes e máscaras para reduzir a transmissão do Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) no ambiente hospitalar

O Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) é um patógeno comum adquirido no hospital que aumenta a morbidade, a mortalidade e os custos dos cuidados de saúde. O controle do MRSA continua um problema sem solução em muitos hospitais do mundo. Esta revisão avaliou a efetividade do uso de luvas, capotes ou máscaras antes de ter contato com um paciente colonizado ou infectado por MRSA, ou com o ambiente imediato do paciente. Cochrane Clinical Answer relevante: As luvas, capotes e máscaras reduzem a transmissão de MRSA no ambiente hospitalar?

Uso de roupas de proteção por profissionais de saúde e visitantes em berçários para prevenir morbidade e mortalidade neonatal 

O uso de aventais e capotes protetores é muito comum em berçários e em UTIs neonatais. Acredita-se que o uso dessas vestimentas pode ajudar a prevenir a propagação da infecção nosocomial e ajudar os funcionários e visitantes a lembrar que precisam lavar as mãos antes do contato com o bebé. Esta revisão avaliou os efeitos do uso de roupas de proteção pelos funcionários e visitantes sobre a incidência de infecção e morte em berçários.

Intervenções comportamentais para promover o uso de equipamentos de proteção respiratória por parte dos trabalhadores

Os riscos respiratórios são comuns no local de trabalho. Dependendo do perigo e da exposição, as consequências vão desde doenças leves até quadros com risco de morte causados por agentes infecciosos. Outras consequências incluem reações agudas, irritação respiratória, problemas pulmonares crónicos,e até câncer por exposição a produtos químicos ou toxinas. O uso de equipamento de proteção respiratória (RPE) é uma medida preventiva importante em muitos ambientes ocupacionais. O RPE só oferece proteção quando usado corretamente, quando removido com segurança e quando é substituído ou mantido regularmente. A eficácia das intervenções comportamentais dirigidas a empregadores ou organizações ou dirigidas a trabalhadores individuais para promover o uso de RPE nos trabalhadores continua a ser uma questão importante sem resposta. Esta revisão avaliou os efeitos de qualquer intervenção comportamental dirigida a organizações ou a funcionários individuais no uso observado ou auto-relatado de RPE pelos trabalhadores, quando comparado com nenhuma intervenção ou uma intervenção alternativa.

Higiene de pacientes graves com clorexidina para a prevenção de infecções hospitalares

A infecção hospitalar é um evento adverso frequente no atendimento ao paciente. Esse tipo de infecção pode aumentar a duração da internação na UTI, trazer complicações médicas adicionais, levar a incapacidade permanente ou morte. A prevalência de infecção é alta especialmente na UTI. Isso ocorre porque os pacientes na UTI são doentes graves, têm menor imunidade e estão sujeitos a monitorização mais invasiva. A clorexidina é um produto de baixo custo, amplamente utilizado como desinfetante e anti-séptico, que pode ser usado para banhar pessoas gravemente doentes com o objetivo de matar bactérias e reduzir a propagação de infecções hospitalares. Esta revisão avaliou os efeitos do banho com clorexidina sobre a taxa de infecções hospitalares em pessoas gravemente doentes. Cochrane Clinical Answer relevante: Quais são os efeitos do banho com clorexidina na prevenção de infecções hospitalares em pessoas internadas em UTIs?

Estratégias de controle de infecções para prevenir a transmissão do Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) em instituições de longa permanência de idosos

As instituições de longa permanência de idosos são um ambiente propício para a aquisição e propagação do Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA), o que aumenta o risco dos idosos serem colonizados e infectados. As estratégias de prevenção e controle de infecções são importantes para prevenir e controlar a transmissão do MRSA. Esta revisão avaliou os efeitos de estratégias de prevenção e controle de infecções para prevenir a transmissão do MRSA em asilos de idosos.

 

Agradecimentos

Esta Coleção Especial foi desenvolvida por Lisa Bero (Editora Sênior, Saúde Pública e Sistemas de Saúde), trabalhando junto com Toby Lasserson (Editor Chefe Adjunto), Newton Opiyo (Editor Associado), Robin Featherstone (Especialista em Informação) e Monaz Mehta (Editor) no Departamento Editorial & de Métodos da Cochrane. Colegas da Rede Cochrane Saúde Pública e Sistemas de Saúde, da Rede Cochrane China, dos grupos Cochrane Feridas e Cochrane Infecções Respiratórias Agudas, também contribuíram na seleção das revisões para esta Coleção Especial.

Notas de tradução

Esta Coleção Especial foi traduzida para o Português pela Cochrane Brazil (Maria Regina Torloni) em 26 de março de 2020. A Coleção Especial em Inglês está disponível na Biblioteca Cochrane: Coronavírus (COVID-19): medidas para o controle e a prevenção de infecções

Crédito de imagem

Mike Kemp/Getty Images

Contato

Departamento Editorial e de Métodos da Cochrane (emd@cochrane.org)

Share/Save