Proteína C-reativa no diagnóstico de infecções em recém-nascidos

Questão de revisão:

Revimos estudos que avaliaram se a medição do nível sanguíneo de proteína C-reativa (PCR) levou ao diagnóstico mais precoce de infecções graves em recém-nascidos.

Contexto:

Os recém-nascidos, especialmente se doentes ou prematuros, estão em risco de desenvolver infecções graves (como sépsis) durante a sua estadia em unidades neonatais. As infecções são muitas vezes difíceis de diagnosticar precocemente e testes rápidos, como a medição do nível sanguíneo de uma proteína que responde à infecção (chamada PCR), são por vezes usados para ajudar a fazer um diagnóstico mais precoce. O nosso objetivo foi avaliar a evidência relativa à exatidão deste teste.

Características do estudo:

Encontramos 20 estudos que avaliaram a precisão da medição do nível sanguíneo da PCR no diagnóstico de infecções em recém-nascidos. Os estudos eram suficientemente semelhantes para justificar uma análise combinada dos seus resultados.

Resultados principais:

A análise combinada indicou que uma PCR positiva identificou corretamente infeções em recém-nascidos, aproximadamente 6 vezes em cada 10.

Conclusão

A medição do nível sanguíneo da PCR não é suficientemente precisa para ajudar no diagnóstico precoce de infecções em recém-nascidos.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Mariana Morgado, Serviço de Cirurgia Pediátrica, Centro Hospitalar Lisboa Norte; Centro de Estudos de Medicina Baseada na Evidência, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa; com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save