Tratamento anticoagulante para embolia pulmonar subsegmentar

Essa tradução não está atualizada. Por favor clique aqui para ver a versão mais recente em inglês desta revisão.

Embolia pulmonar (EP) aguda é causa comum de morte, responsável por 50.000 a 200.000 mortes por ano. Após a doença coronariana arterial e derrame cerebral, é a terceira causa mais comum entre doenças cardiovasculares.

Com advento da angiotomografia pulmonar multidetectora foi possível realizar melhor avaliação da EP em relação à visualização das artérias pulmonares periféricas e com isso aumentar a taxa de diagnóstico. Em decorrência mais casos de EPs periféricas como EP subsegmentar (EPS) isolada ou incidental puderam ser identificadas. Estas duas condições são geralmente encontradas em pacientes com pouca ou nenhuma sintomatologia clássica de EP como tosse com escarro sanguinolento, dor no peito ou falta de ar aguda. Entretanto, em pacientes com condição do coração e pulmão prejudicada, os sintomas clássicos de EP podem ser encontrados em EPS isolada. EPS incidental pode ser encontrada casualmente em pacientes sem sintomas, geralmente por métodos de imagem realizados por outros motivos (tomografia de rotina para estadiamento de pacientes com câncer).

Pacientes com EPS isolada ou incidental podem ter a apresentação clínica mais benigna comparada àqueles com EPs proximais. Entretanto, o significado clínico e prognóstico destes pacientes devem ser estudados para avaliar se a terapia anticoagulante é necessária.

Não há estudos que preencheram os critérios de inclusão da revisão. Não há ainda evidência evidências provindas de ensaios clínicos randomizados sobre a efetividade e segurança de terapia anticoagulante versus nenhuma intervenção em pacientes com EPS isolada ou incidental e portanto, não pudemos ter nenhuma conclusão. Pesquisas bem conduzidas são necessárias para responder esta questão.

Conclusão dos autores: 

Não há ainda evidências provindas de ensaios clínicos randomizados sobre a efetividade e segurança da terapia anticoagulante versus nenhuma intervenção em pacientes com EPS isolada ou incidental e portanto, não pudemos apresentar nenhuma conclusão. Pesquisas bem conduzidas são necessárias para responder esta questão.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Embolia pulmonar (EP) aguda é causa comum de morte, responsável por 50.000 a 200.000 mortes por ano. Após a doença coronariana arterial e acidente cerebral, é a terceira causa mais comum entre doenças cardiovasculares.

Com advento da angiotomografia pulmonar multidetectora foi possível realizar melhor avaliação da EP em relação à visualização das artérias pulmonares periféricas e com isso aumentar a taxa de diagnóstico. Em decorrência mais casos de EPs periféricas como EP subsegmentar (EPS) isolada ou incidental puderam ser identificadas. Estas duas condições são geralmente encontradas em pacientes com pouca ou nenhuma sintomatologia clássica de EP como hemoptise, dor pleural, dispnéia aguda ou colapso circulatório. Entretanto, em pacientes com reserva cárdio-pulmonar reduzida os sintomas clássicos de EP podem ser encontrados em EPS isolada. EPS incidental pode ser encontrada casualmente em pacientes assintomáticos, geralmente por métodos de imagem realizados por outros motivos (tomografia de rotina para estadiamento de pacientes oncológicos).

Tradicionalmente, todos os casos de EP são anticoagulados de maneira similar independentemente de localização, número e tamanho do trombo. Tem sido sugerido na literatura que em alguns pacientes com EPS o tratamento pode não ser benéfico, aumentando eventos adversos por possível uso desnecessário de anticoagulantes.

Pacientes com EPS isolada ou incidental podem ter a apresentação clínica mais benigna comparada àqueles com EPs proximais. Entretanto, o significado clínico e prognóstico destes pacientes devem ser estudados para avaliar se a terapia anticoagulante é necessária.

Objetivos: 

Avaliar a efetividade e segurança de terapia anticoagulante versus nenhuma intervenção em pacientes com EPS isolada ou incidental.

Estratégia de busca: 

The Cochrane Peripheral Vascular Diseases Group pesquisou em Specialised Register (última busca em Outubro de 2013) e na CENTRAL (2013, fascículo 9). Os autores pesquisaram também no MEDLINE, EMBASE, LILACS e na base de dados de ensaios clínicos (Outubro de 2013).

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos controlados e randomizados de terapia anticoagulante versus nenhuma intervenção em pacientes com EPS isolada ou incidental.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores examinaram todas as citações para seleção assegurada Dois autores examinaram todas as citações para seleção assegurada dos ensaios clínicos, extraíram os dados independentemente e avaliaram a qualidade metodológica dos ensaios clínicos identificados utilizando os critérios recomendados pelo the Cochrane Hadbook for Systematic Review of Interventions..

Resultados principais: 

Nenhum estudo foi identificado que preencheu os critérios de inclusão

Notas de tradução: 

Traduzido por: Hugo Hyung Bok Yoo, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Share/Save