Terapia hormonal para função sexual em mulheres na menopausa

Objetivamos avaliar o efeito da terapia hormonal (TH), especificamente estrogênio isolado, estrogênio em combinação com progestagênios, esteróides sintéticos e MSREs, na função sexual em mulheres na peri-menopausa e na pós-menopausa. O período próximo e após a última menstruação (menopausa) está associado a muitos sintomas, incluindo o declínio na função sexual. TH é um termo genérico que se refere a qualquer tipo de terapia com hormônios usado durante a menopausa para o alívio de sintomas relacionados à menopausa. Realizamos uma pesquisa eletrônica em bancos de dados da literatura médica, pesquisando por ensaios clínicos randomizados (ECRs) comparando a terapia hormonal (TH) a nenhum tratamento ou tratamento placebo. Nenhum outro tipo de estudo foi incluído. A última pesquisa foi realizada em Dezembro de 2012.

Vinte e sete estudos foram incluídos, eles foram conduzidos em mais de 30 países. A função sexual foi avaliada em 8802 mulheres no grupo de tratamento e em 7591 no grupo controle. Um único estudo contribuiu com a inclusão de 8462 mulheres, 51,2% do número total. Agrupamos os estudos por características das participantes no que diz respeito aos sintomas da menopausa. O grupo menopausa sintomática ou imediata foi de nove estudos, nos quais mulheres estavam na peri-menopausa (um estudo), até 36 meses pós-menopausa (um estudo), até cinco anos pós-menopausa (um estudo), com sintomas vasomotores ou outros sintomas da menopausa (cinco estudos) ou apresentando ondas de calor e disfunção sexual (um estudo). O grupo de mulheres pós-menopausa não selecionadas vieram de 18 estudos. O grupo incluiu mulheres, independente dos sintomas de menopausa, e permitiu a inclusão de mulheres com mais de cinco anos desde o seu último período menstrual. Nenhum estudo foi restringido a mulheres com disfunção sexual e apenas cinco estudos avaliaram a função sexual como desfecho primário. Dezoito estudos foram considerados com alto risco de viés, e os outros nove estudos tiveram risco incerto de viés. Vinte estudos receberam financiamento comercial.

As conclusões para função sexual (avaliada pela contagem total) foram os seguintes:

Na comparação de estrogênio isolado versus controle, para mulheres sintomáticas ou na pós-menopausa imediata o efeito observado foi compatível com pequeno a moderado benefício na função sexual no grupo de TH (evidência de alta qualidade). Para as mulheres na pós-menopausa não selecionadas o efeito observado foi compatível com nenhum a pequeno benefício, fornecido por evidência de baixa qualidade.

Na comparação de estrogenios combinados com progestagênios versus controles para mulheres sintomáticas ou na pós-menopausa imediata, o efeito observado foi compatível com pequeno a moderado benefício na função sexual no grupo de TH (evidência de moderada qualidade). Para as mulheres na pós-menopausa não selecionadas o efeito observado foi compatível com nenhum a pequeno benefício (evidencia de moderada qualidade).

Na comparação entre tibolona versus controle, para mulheres sintomáticas ou na pós-menopausa imediata, o efeito observado foi compatível com nenhum a pequeno efeito na função sexual no grupo em TH (evidência de baixa qualidade). Para as mulheres na pós-menopausa não selecionadas o efeito observado foi compatível com nenhum a pequeno benefício (evidencia de baixa qualidade).

Na comparação dos MSREs (raloxifeno e bazedoxifeno) versus controle, para as mulheres sintomáticas ou na pós-menopausa imediata, o efeito observado foi compatível com nenhum a moderado benefício na função sexual do grupo em TH (evidência de baixa qualidade). Para as mulheres na pós-menopausa não selecionadas, o efeito observado foi compatível com um pequeno prejuízo a um pequeno benefício (evidência de baixa qualidade).

Comparando bazedoxifeno combinado com estrogenios com grupo controle, para mulheres sintomáticas ou na pós-menopausa imediata, o efeito observado foi compatível com nenhum a pequeno benefício, com evidência de moderada qualidade. Nenhum estudo foi incluído no subgrupo de mulheres não selecionados na pós-menopausa.

Os estudos incluídos não permitiram uma avaliação abrangente dos malefícios dessas terapias; outras revisões sistemáticas devem ser considerada para verificar os possíveis danos da TH.

Concluímos que TH com estrogênio isolado ou em combinação com progestagênios está associada com uma pequena a moderada melhoria na função sexual quando utilizada especificamente em mulheres com sintomas ou na menopausa imediata (dentro dos primeiros cinco anos após o início da menopausa), mas não quando utilizado para qualquer mulher na pós-menopausa. Evidências consideradas sobre outras TH (tibolona, ​​raloxifeno, e bazedoxifeno) são de baixa qualidade. A evidência atual não sugere um efeito importante da tibolona, ​​do raloxifeno e do bazedoxifeno, isolados ou combinados com estrogênios sobre a função sexual.

Conclusão dos autores: 

TH com estrogênios isolados ou em combinação com progestagênios foi associada com pequena a moderada melhora na função sexual, particularmente na dor, quando utilizada em mulheres com sintomas da menopausa ou na pós-menopausa imediata (no prazo de cinco anos de amenorreia), mas não em mulheres pós-menopausadas não selecionadas. Evidências sobre outros THs (esteróides sintéticos e MSREs) é de baixa qualidade e não temos certeza do seu efeito sobre a função sexual. A evidência atual não sugere um efeito importante da tibolona ou de MSREs isolados ou combinados com estrogênios sobre a função sexual. Mais estudos avaliando o efeito de esteróides sintéticos, MSREs e a associação de MSREs + estrogênios iria melhorar a qualidade da evidência para o efeito destes tratamentos sobre a função sexual em mulheres na peri e pós-menopausa. Estudos futuros também devem avaliar o efeito da TH apenas entre as mulheres com queixas sexuais.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Os períodos peri-menopausa e pós-menopausa estão associados com vários sintomas, incluindo queixas sexuais.

Objetivos: 

Para avaliar o efeito da terapia hormonal (TH) sobre a função sexual em mulheres na peri-menopausa e pós-menopausa.

Estratégia de busca: 

Realizamos uma pesquisa por artigos na Cochrane Menstrual Disorders and Subfertility Grupo (MDSG) Specialised Register, CENTRAL, MEDLINE, EMBASE, CINAHL, PsycINFO, LILACS, ClinicalTrials.gov, Current Controlled Trials, WHO International Clinical Trials Registry Platform, ISI Web of Knowledge and OpenGrey. A última pesquisa foi realizada em Dezembro de 2012

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados comparando TH com placebo ou nenhuma intervenção (controle). Consideramos como TH estrogênios isolados; estrogênios combinados com progestagênios; esteróides sintéticos (por exemplo tibolona); ou moduladores seletivos do receptor de estrogênio (MSREs) (por exemplo raloxifeno, bazedoxifeno). Estudos sobre outras drogas possivelmente usadas para o alívio dos sintomas da menopausa foram excluídos. Incluimos estudos que avaliaram a função sexual usando qualquer ferramenta de avaliação validada. O desfecho primário foi a pontuação total para a função sexual e os escores para domínios individuais (excitação e interesse sexual, orgasmo e dor) foram considerados desfechos secundários. Os estudos foram selecionados por dois autores de forma independente.

Coleta dos dados e análises: 

Os dados foram extraídos independentemente por dois autores e verificados por um terceiro. Avaliação do risco de viés foi realizado de forma independente por dois autores. Contactamos os autores dos estudos conforme necessário. Os dados foram analisados usando diferença média padronizada (DMP) e risco relativo (RR). Estratificamos a análise por características das participantes no que diz respeito aos sintomas da menopausa. A qualidade global das evidências para o desfecho primário foi avaliada utilizando os critérios GRADE.

Resultados principais: 

A pesquisa recuperou 2351 registros a partir do qual foram incluídos 27 estudos (16.393 mulheres). O subgrupo "sintomática ou pós-menopausa precoce" incluiu nove estudos: mulheres na peri-menopausa (um estudo), até 36 meses pós-menopausa (um estudo), até cinco anos pós-menopausa (um estudo), com queixa vasomotora ou outros sintomas da menopausa (cinco estudos ), ou fogachos e disfunção sexual (um estudo). O subgrupo das "mulheres na pós-menopausa não selecionadas" incluiu 18 estudos, os quais incluíram mulheres independentemente dos sintomas da menopausa e mulheres com mais de cinco anos do último período menstrual. Nenhum estudo foi restrito a mulheres com disfunção sexual. Apenas cinco estudos avaliaram a função sexual como desfecho primário. Dezoito estudos foram considerados de alto risco de viés, e os outros nove estudos estavam em risco incerto de viés. Vinte estudos receberam financiamento comercial.

Achados para a função sexual (medido pelo escore composto):

Para estrogênio isolado versus controle, em mulheres sintomáticas ou pós-menopausa imediata a DMP e IC 95% eram compatíveis com pequeno benefício na função sexual para o grupo TH a moderada (DMP 0,38, IC 95% 0,23-0,54, P <0,00001, 3 estudos , 699 mulheres, P = 55%, evidência de alta qualidade). Em mulheres pós-menopausadas não selecionadas, o IC 95% foi compatível com nenhum efeito a pequeno benefício (DMP 0,16, IC 95% - 0,02 a 0,34, P = 0,08, dois estudos, 478 mulheres, P = 44%, evidências de baixa qualidade). Os subgrupos não foram agrupados devido a considerável heterogeneidade.

Para estrogênios combinados com progestagênios versus controle, em mulheres sintomáticas ou na pós-menopausa imediata o IC 95% foi compatível com um pequeno a moderado benefício para a função sexual no grupo TH (DMP 0,42, IC 95% 0,19-0,64, P = 0,0003, um estudo, 335 mulheres, evidência de qualidade moderada). Em mulheres pós-menopausadas não selecionadas, o IC 95% foi compatível com nenhum efeito a pequeno benefício (DMP 0,09, IC 95% - 0,02 a 0,20, P = 0,10, três estudos, 1314 mulheres, P = 0%, evidência de qualidade moderada). Os subgrupos não foram agrupados devido a considerável heterogeneidade.

Para a tibolona versus controle, em mulheres sintomáticas ou pós-menopausa imediata o IC 95% foi compatível com nenhum efeito ou um pequeno benefício para a função sexual no grupo TH (DMP 0,13, IC 95% 0,00-0,26, P = 0,05, um estudo, 883 mulheres, evidências de baixa qualidade). Em mulheres pós-menopausadas não selecionadas, o IC de 95% foi compatível com nenhum efeito a benefício moderado (DMP 0,38, IC 95% 0,04-0,71, P = 0,03, dois estudos, 142 mulheres, P = 0%, evidências de baixa qualidade). Na análise conjunta, o IC 95% foi compatível com nenhum efeito a pequeno benefício (DMP 0,17, IC de 95% 0,04-0,29, P = 0,008, três estudos, 1025 mulheres, P = 20%).

Para os MSREs versus controle, em mulheres sintomáticas ou pós-menopausa imediata o IC 95% foi compatível com nenhum efeito a benefício moderado para a função sexual no grupo TH (DMP 0,23, IC 95% - 0,04 a 0,50, P = 0,09, um estudo, 215 mulheres, evidência de baixa qualidade). Em mulheres na pós-menopausa não selecionadas, o IC 95% foi compatível com pequeno dano a um pequeno benefício (DMP 0,04, IC 95% -0,20 a 0,29, P = 0,72, um estudo, 283 mulheres, evidência de baixa qualidade). Na análise conjunta, o IC 95% foi compatível com nenhum efeito a um pequeno benefício (DMP 0,13, IC 95% - 0,05 a 0,31, P = 0,16, dois estudos, 498 mulheres, P = 2%).

A comparação dos MSREs com estrogênios combinados versus controle só foi avaliada em mulheres sintomáticas ou na pós-menopausa imediata. O IC 95% foi compatível com nenhum efeito a pequeno benefício para a função sexual no grupo TH (DMP 0,21, IC 95% 0,00-0,43, P = 0,05, um estudo, 542 mulheres, evidências com qualidade moderada).

Notas de tradução: 

Traduzido por: Lucia alves S Lara, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save