Estratégias para aumentar a aquisição e utilização de mosquiteiros tratados com inseticida para prevenir a malária

Pesquisadores da Cochrane Collaboration conduziram uma revisão sobre o efeito de diferentes estratégias para aumentar a aquisição e utilização de mosquiteiros tratados com inseticida para prevenir a malária. Em fevereiro de 2013, eles identificaram 10 estudos relevantes. Apresentamos a seguir o resumo do que eles encontraram.

O que é malária e como os mosquiteiros tratados com inseticida podem prevenir essa doença?

A malária é uma doença potencialmente fatal causada por um parasita. Uma pessoa se infecta ao ser picada por um mosquito que carrega esse parasita. As pessoas com malária podem ter sintomas como calafrios, febre, vômitos, diarreia e icterícia (amarelão). Cerca de 40% da população mundial está sujeita a pegar malária, principalmente nos países mais pobres.

Os mosquiteiros tratados com inseticida ficam suspensos em cima da cama e agem como uma barreira entre os insetos e a pessoa que está dormindo. Os mosquiteiros são impregnados de inseticida, um produto químico que mata ou repele mosquitos e que efetivamente previne a malária. Os mosquiteiros tratados com inseticida são caros e é importante encontrar formas de garantir que as pessoas que precisam deles consigam adquiri-los. Mesmo quando as pessoas possuem mosquiteiros, nem sempre elas os utilizam corretamente. Para que eles sejam efetivos, elas precisam utilizá-los todas as noites, pendurá-los corretamente e impregná-los com inseticida suficiente. É importante avaliar se as diferentes estratégias aumentam não só o número de pessoas que adquirem mosquiteiros mas também se essas estratégias fazem com que as pessoas de fato usem os mosquiteiros.

O que esta pesquisa diz:

Os estudos incluídos nesta revisão foram feitos na África e na Índia. Em cinco dos estudos, as pessoas ou recebiam gratuitamente os mosquiteiros tratados com inseticida, ou compravam-nos a um preço subsidiado (mais barato) ou pagavam o preço de mercado. Nos outros cinco estudos, as pessoas foram educadas sobre como usar adequadamente os mosquiteiros. Essa educação ocorria de várias formas, como por exemplo através de visitas domiciliares ou de informações veiculadas no rádio, na televisão e na comunidade. Os estudos incluídos mostram o seguinte:

Fornecer mosquiteiros tratados com inseticida sem nenhum custo (de graça):

- Provavelmente aumenta o número de pessoas que adquirem mosquiteiros em comparação com fornecer mosquiteiros a um preço reduzido ou com a preço de mercado.

- Provavelmente leva a pouca ou nenhuma diferença no uso dos mosquiteiros, em comparação com fornecer mosquiteiros a um preço reduzido ou a preço de mercado.

Educar as pessoas sobre o uso correto dos mosquiteiros tratados com inseticida:

- Pode aumentar o número de adultos e de crianças com menos de cinco anos que utilizam mosquiteiros (dormem cobertas por mosquiteiros).

Fornecer incentivos para estimular o uso dos mosquiteiros tratados com inseticida:

- Provavelmente leva a pouca ou nenhuma diferença na aquisição ou utilização dos mosquiteiros em comparação às pessoas que não receberam um incentivo.

Um possível efeito colateral de fornecer gratuitamente, ou a preços mais baixos, os mosquiteiros tratados com inseticida é que os governos e as instituições que pagam por esses mosquiteiros tiram esse dinheiro de outras questões prioritárias. No entanto, nenhum dos estudos incluídos na revisão mediu a ocorrência destes ou de quaisquer outros efeitos colaterais.

Conclusão dos autores: 

Cinco estudos avaliaram o efeito do preço sobre a aquisição dos MTIs. Existe evidência de qualidade moderada de que a aquisição dos MTIs foi maior nos grupos que receberam esse insumo sem custo do que nos grupos que tiveram que pagar algo, independentemente do preço, para adquirir os MTIs. Em termos econômicos, isso significa que a demanda por MTIs é flexível em relação ao preço. No entanto, uma vez que o MTI é fornecido, o seu preço provavelmente tem pouco ou nenhum efeito sobre sua utilização. Os quatro estudos que avaliaram este desfecho não conseguiram confirmar a hipótese de que as pessoas que compram os mosquiteiros irão utilizá-los mais do que aqueles que os recebem gratuitamente. As intervenções educativas para promover o uso dos MTIs têm um efeito positivo adicional. No entanto, desconhecemos o impacto de diferentes tipos ou intensidades de intervenções educativas.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A malária é uma doença parasitária que pode trazer risco de morte. No mundo todo, 40% da população vive em áreas afetadas por essa doença. Apesar de os mosquiteiros tratados com inseticida (MTIs) serem efetivos na prevenção da malária, existem barreiras à sua utilização.

Objetivos: 

Avaliar as evidências sobre a efetividade das estratégias para aumentar a distribuição e o uso adequado dos MTIs.

Estratégia de busca: 

Pesquisamos as seguintes bases de dados: EPOC Register of Studies, CENTRAL, MEDLINE, EMBASE, HealthStar, CINAHL, PubMed, Science Citation Index, ProQuest Dissertations and Theses, African Index Medicus (AIM), World Health Organization Library and Information Networks for Knowledge (WHOLIS), LILACS, Virtual Health Library (VHL) e World Health Organization Library Information System (WHOLIS). As buscas foram feitas inicialmente em maio de 2011 e atualizadas em março de 2012 e em fevereiro de 2013. Os autores entraram em contato com organizações e indivíduos envolvidos em programas de distribuição ou pesquisas sobre MTIs para identificar iniciativas em andamento e estudos ou dados não publicados. Também fizeram buscas nas listas de referências das revisões e dos estudos relevantes.

Critérios de seleção: 

Foram incluídos ensaios clínicos controlados, randomizados ou não, estudos controlados antes e depois e estudos de série temporal interrompida que avaliaram intervenções para aumentar a aquisição e o uso dos MTIs. A população de interesse foi composta por pessoas que vivem em áreas endêmicas de malária.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores, trabalhando de forma independente, selecionaram os estudos a serem incluídos, fizeram a extração dos dados e avaliaram o risco de viés deles. Quando não houve consenso, as divergências foram discutidas com um terceiro autor. Foi avaliada a magnitude do efeito e a qualidade da evidência para cada desfecho.

Resultados principais: 

Foram identificadas 3.032 referências e incluídos 10 estudos nesta revisão.

Efeito do preço sobre a aquisição dos MTIs:

Quatro estudos, incluindo 4.566 famílias, e outro estudo, que incluiu 424 participantes, avaliaram o efeito do preço sobre a aquisição dos MTIs. Os achados desses estudos sugerem que fornecer os MTIs sem custo provavelmente aumenta o número de pessoas que os adquire, em comparação com oferecer MTIs subsidiados ou a preço de mercado.

Efeito do preço sobre o uso adequado dos MTIs:

Três estudos, incluindo 9.968 famílias, e outro estudo envolvendo 259 indivíduos, relataram que fornecer MTIs sem custo traz pouca ou nenhuma diferença na utilização dos MTIs, em comparação com fornecer MTIs subsidiados ou a preço de mercado.

Educação:

Cinco estudos, incluindo 12.637 famílias, avaliaram o efeito de intervenções educacionais sobre a utilização dos MTIs e concluíram que a educação pode aumentar o número de adultos e de crianças que utilizam MTIs (que dormem sob MTIs) quando comparado a nenhuma educação.

Um estudo, incluindo 519 famílias, avaliou os efeitos de fornecer um incentivo (um prêmio não revelado) para estimular a aquisição e utilização dos MTIs. O estudo conclui que esses incentivos provavelmente produzem pouca ou nenhuma diferença sobre a aquisição ou utilização dos MTIs, em comparação com não fornecer esse tipo de incentivo.

Nenhum dos estudos inclusos relatou efeitos adversos.

Notas de tradução: 

Tradução do Cochrane Brazil (Luana Pompeu dos Santos Rocha). Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save