Controle da dor para pacientes com artrite reumatoide e comorbidade cardiovascular ou renal

O resumo desta revisão Cochrane apresenta os achados das pesquisas sobre a segurança do uso de remédios para o alívio da dor em pessoas com artrite reumatoide que também tenham doença cardíaca ou renal, ou as duas.

O que é artrite reumatoide e o que é controle da dor?

Quando se tem artrite reumatoide, o sistema imunológico, que normalmente combate as infecções, ataca o revestimento das articulações, provocando uma inflamação local que torna as juntas doloridas, rígidas e inchadas. As pessoas que sofrem com artrite reumatoide geralmentes precisam tomar remédios para dor e anti-inflamatórios (como o paracetamol ou ibuprofeno) para controlar essa dor e a inflamação.

Existem vários tipos de remédios para controlar a dor, incluíndo os anti-inflamatórios não esteróides (AINEs), (como o ibuprofeno, o diclofenaco, e as drogas tipo COX-2 (como o celecoxib), os opioides e os remédios semelhantes aos opioides (como o tramadol, a morfina e outros), o paracetamol (também conhecido como acetaminofeno), e os neuromoduladores (incluindo os antidepressivos, anticonvulsivantes e os relaxantes musculares)

A revisão mostra que, para as pessoas com artrite reumatoide que também têm problemas cardíacos ou renais:

Ainda não temos informações precisas sobre os eventos adversos e as possíveis complicações do tratamento da dor porque não existem estudos específicos sobre os eventos adversos associados ao uso desses remédios nessas pessoas. Existem eventos adversos bem documentados para a maioria dos remédios para dor, tais como problemas estomacais, renais e cardíacos associados com o uso de AINEs, e problemas gastrointestinais associados com o uso dos opioides.

Conclusão dos autores: 

Não encontramos estudos que, especificamente, compararam a eficácia e a segurança dos remédios para dor em pacientes com artrite reumatoide com e sem comorbidades cardiovascular ou renal.

Diante da ausência de evidência específica para artrite reumatoide, as diretrizes atuais recomendam que os AINEs sejam usados com cautela na população geral dos pacientes com artrite reumatoide, enfatizando a necessidade de vigilância ainda maior nos pacientes com doença cardiovascular estabelecida ou fatores de risco para seu desenvolvimento. As recomendações atuais sobre o uso de AINEs e opioides em pacientes com insuficiência renal moderada a grave devem também ser seguidas para os pacientes com artrite reumatoide.

São necessárias mais pesquisas para orientar os médicos no tratamento da dor em pacientes com artrite reumatoide.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A dor é um sintoma comum nos pacientes com artrite reumatoide. Muitas vezes, essa dor é de causa multifatorial e os pacientes recebem diversos tipos de medicamentos para seu controle. Existem preocupações de que alguns tipos de remédios para dor atualmente utilizados podem aumentar o risco de eventos adversos nas pessoas com artrite reumatoide que também tenham doença cardiovascular ou renal.

Objetivos: 

Avaliar e compilar as evidências científicas sobre a eficácia e a segurança do uso de remédios para o alívio da dor em pessoas com artrite reumatoide que também tenham doença cardiovascular ou renal.

Estratégia de busca: 

Fizemos buscas nas seguintes bases de dados: Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL, The Cochrane Library 2010, Issue 4); MEDLINE, desde 1950; EMBASE, desde 1980, Cochrane Database of Systematic Reviews (CDSR) e Database of Abstracts of Reviews of Effects (DARE). Também fizemos buscas manuais nos anais dos congressos do American College of Rheumatology (ACR) e European League against Rheumatism (EULAR) de 2008-09. Finalmente, fizemos buscas nos sites das agências regulamentadoras para relatos de eventos adversos.

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados e estudos não randomizados que compararam a eficácia e a segurança de medicamentos para dor em pacientes com artrite reumatoide, com e sem comorbidade cardiovascular ou renal.

Além disso, para a avaliação da segurança, também incluímos estudos controlados tipo antes e depois, estudos de séries temporal interrompidas, coortes, caso-controles e séries de casos (N ≥ 20).

Para esta revisão, consideramos os seguintes remédios para dor: analgésicos simples (como paracetamol), anti-inflamatórios não esteroides (AINE), opioides ou drogas semelhantes a como opioides (como tramadol) e neuromoduladores (incluindo antidepressivos, anticonvulsivantes e relaxantes musculares).

Coleta dos dados e análises: 

Dois revisores, trabalhando de forma independente, avaliaram os resultados da busca e planejaram fazer a extração dos dados e a avaliação do risco de viés dos estudos incluídos.

Resultados principais: 

Não identificamos nenhum estudo que preenchesse nossos critérios de inclusão. Muitos dos estudos com AINEs excluíam deliberadamente os pacientes com comorbidade cardiovascular ou renal.

Encontramos um ensaio clínico que avaliou o uso do diclofenaco ou etoricoxib em populações mistas (pacientes com artrite reumatoide e osteoartrose). Neste estudo, ter doença cardiovascular aumentou em três vezes a probabilidade de um evento cardiovascular. Os pacientes com duas ou mais comorbidades cardiovascular tiveram probabilidade duas vezes maior de terem eventos adversos cardiovasculares.

Notas de tradução: 

Traduzido pelo Cochrane Brazil. Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save