Lidocaína na redução de dor induzida pela injeção de propofol em anestesia de adultos

Questão da revisão

A injeção de lidocaína intravenosa, (diretamente numa veia), é eficaz na redução da dor causada pela injeção de propofol, utilizada na indução da anestesia em adultos submetidos a anestesia geral?

Plano de fundo

Propofol é uma droga anestésica (agente de indução) que é administrado na indução e manutenção anestésica em adultos submetidos a cirurgias. É um agente de indução popular pois promove uma indução suave e rápida recuperação quando comparada à outras drogas como o tiopental. A principal desvantagem do propofol é que frequentemente causa dor intensa. Pois, é usualmente injetado em veias da mão e pode causar irritação da pele. O que pode tornar a anestesia uma experiência desagradável. Um método de prevenir a dor induzida pela injeção de propofol é administrar lidocaína antes da injeção deste ou diluí-la com o propofol. Lidocaína é uma anestésico local comumente utilizado e de baixo custo. O objetivo dessa revisão foi determinar como a lidocaína foi eficaz na redução dos níveis de dor de forte intensidade causada pela injeção de propofol.

Características do estudo.

Os bancos de dados foram pesquisadas até Outubro de 2014 Foram incluídos 87 estudos, 84 dos quais foram elegíveis para análise quantitativa (10.460 participantes). Os estudos participantes foram selecionados aleatoriamente para receber injeção intravenosa de lidocaína ou solução salina (placebo), ao mesmo tempo que a injeção de propofol.

A pesquisa foi novamente executada em Novembro de 2015. Foram encontrados 11 estudos com potencial interesse, estes foram adicionados a lista de "estudos aguardando classificação" e serão completamente incorporados na revisão formal quando da atualização desta revisão.

Fontes de financiamento do estudo

Três dos 87 estudos foram financiados por alguma indústria farmacêutica com interesses comerciais nos resultados do estudo ou pela companhia que forneceu o propofol. Oito estudos foram apoiados por hospitais públicos ou fundos universitários e um estudo foi financiado por doação de caridade.

Resultados principais

Verificou-se que a injeção de lidocaína numa veia, quer seja misturada com propofol ou injetada antes deste, podem reduzir de forma eficaz a incidência e os níveis elevados de dor associada com a injeção de propofol. Os efeitos adversos, tais como a inflamação (vermelhidão, edema) da veia no local de injeção foram raros e em dois estudos não foram mais frequentes com a utilização de lidocaína. Nenhum estudo reportou a satisfação do paciente.

Estatísticas

Com base nesses resultados, seria de esperar que, de 1.000 pacientes recebendo propofol por via intravenosa, cerca de 385 que não recebem também lidocaína intravenosa, iriam experimentar dor moderada a grave, em comparação com apenas 89 pacientes daqueles que também receberam lidocaína intravenosa.

Qualidade da evidência

A qualidade global da evidência foi elevada, com um grande efeito benéfico obtido através da administração de lidocaína para reduzir a dor à injeção de propofol.

Conclusão dos autores: 

No geral, a qualidade da evidência foi alta. Os dados atualmente disponíveis de ensaios clínicos randomizados são suficientes para confirmar que tanto a mistura de lidocaína, quanto o pré-tratamento foram eficazes na redução da dor na injeção de propofol. Além disso, não houve diferenças significativas de efeito entre as duas técnicas.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Dor causada pela injeção de propofol é um efeito indesejável e esta condição pode reduzir a satisfação do paciente. A injeção de lidocaína intravenosa tem sido comumente usada para atenuação da dor causada pela injeção de propofol. Embora muitos estudos tenham relatado que a lidocaína foi eficaz na redução da incidência e gravidade da dor, nenhuma revisão sistemática focando na lidocaína para prevenção de dor de alta intensidade foi publicada.

Objetivos: 

O objetivo desta revisão foi determinar a eficácia e efeitos adversos da lidocaína na prevenção da dor de forte intensidade na injeção de propofol.

Estratégia de busca: 

Foram pesquisados na Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL; 2014, edição10), Ovid MEDLINE (1950 a Outubro 2014), Ovid EMBASE (1988 a Outubro 2014), LILACS (1992 a Outubro 2014) e pesquisado em listas de referência de artigos.

A pesquisa foi reexecutada em Novembro de 2015. Foram encontrados 11 estudos de potencial interesse, estes foram incluídos numa lista de "estudos aguardando classificação" e serão completamente incorporados numa revisão formal quando da atualização desta revisão.

Critérios de seleção: 

Incluíram-se os estudos controlados randomizados (RCT) que utilizaram injeção de lidocaína intravenosa como intervenção para reduzir a dor durante a injeção de propofol em adultos. Foram excluídos estudos sem grupo controle ou placebo.

Coleta dos dados e análises: 

Os estudos foram selecionados com critérios relevantes. Riscos de viés foram identificados em cinco domínios de acordo com os seguintes critérios: geração de sequência aleatória, ocultação da alocação, a adequação no mascaramento, integridade de dados sobre resultados e relatório seletivo. Foram executadas meta-análise de comparações diretas de intervenção versus controle. O odds ratios (ORs) estimado e intervalos de confiança de 95%, utilizando o método de Mantel-Haenszel para os efeitos aleatórios no RevMan 5.3 Utilizou-se a estatística I2 para avaliar heterogeneidade estatística. A qualidade geral de evidências foi avaliada usando a abordagem GRADE.

Resultados principais: 

Foram incluídos 87 estudos, 84 dos quais (10.460 participantes) foram elegíveis para análise quantitativa nesta revisão. Todos os participantes, com idades entre 13 a 89 anos, classificados conforme a American Society of Anesthesiologists (ASA) I-III, foram submetidos a cirurgias eletivas. Cada estudo foi realizado em um único centro em países de alta, média e baixa renda, em todo o mundo. De acordo com o risco de avaliação de viés, todos, exceto cinco estudos foram identificados como sendo de qualidade metodológica satisfatória, permitindo que 84 estudos fossem combinados na meta-análise. Cinco dos 84 estudos foram avaliados como de alto risco de viés: uma para participantes e mascaramento, uma para dados de resultados incompletos, e três para outras fontes de potenciais de viés.

A incidência global da dor e de alta intensidade de dor após injecção do propofol no grupo de controle foi de 64% (95% IC de 60% a 67,9%) e 38,1% (95% IC 33,4% para 43,1%), respectivamente, enquanto aqueles no grupo lidocaína foi de 30,2% (95% IC 26,7% a 33,7%) e 11,8% (95% IC de 9,7% a 13,8%). Ambos mistura de lidocaína e pré-tratamento foram eficazes na redução da dor na injeção de propofol (mistura de lidocaína OR 0,19, 95% CI 0,15-0,25, 31 estudos, 4.927 participantes, evidência de alta qualidade; o pré-tratamento de lidocaína OR 0,13, 95% CI 0,10-0,18, 43 RCTs, 4.028 participantes, evidência de alta qualidade). Da mesma forma, a administração de lidocaína poderia diminuir consideravelmente a incidência de dor quando pré-misturado com o propofol (OR 0,19, IC 95% 0,15 a 0,24, 36 estudos, 5.628 participantes, evidência de alta qualidade) ou pré-tratadas antes da injeção de propofol (OR 0,14, 95% CI 0,11 a 0,18, 52 estudos, 4.832 participantes, evidência de alta qualidade). Efeitos adversos na administração de lidocaína foram raros. Tromboflebite foi reportada em apenas dois estudos (OR não estimado, baixa qualidade de evidência) Nenhum estudo reportou a satisfação do paciente.

Notas de tradução: 

Tradução da Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil (Alynne Kelly Freitas Rodas) Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com Translation notes: CD

Tools
Information
Share/Save