Acupuntura para adultos com dor devida ao câncer

Introdução

Até 70% dos pacientes com dor oncológica (devida ao câncer) não recebem analgesia adequada para o alívio da dor; isso reduz sua qualidade de vida. Tem-se argumentado que a acupuntura teria um papel no manejo da dor oncológica e já existem até diretrizes para o tratamento desses pacientes com acupuntura.

Propósito da pesquisa

Os autores dessa Revisão Cochrane decidiram avaliar se existem evidências que demonstrem que a acupuntura é eficaz na redução da dor diretamente decorrente do câncer.

A procura por evidências

Fizemos buscas em diversas bases de dados eletrônicos da área médica procurando encontrar estudos relevantes que houvessem sido publicados até julho de 2015. Incluímos estudos escritos em qualquer idioma que compararam acupuntura para dor oncológica em adultos versus tratamento usual, ou nenhum tratamento, ou acupuntura sham (falsa acupuntura), ou outros tratamentos. Como só queríamos pesquisas confiáveis, incluímos apenas ensaios clínicos randomizados. Nesse tipo de estudo, os participantes são alocados aleatoriamente (usando um sorteio) para um dos grupos de tratamento.

O que descobrimos

Encontramos cinco estudos (com um total de 285 participantes), que compararam acupuntura versus acupuntura sham ou analgésicos. Todos esses estudos tinham um pequeno tamanho amostral (poucas pessoas incluídas), o que reduz a qualidade da sua evidência.

Um deles era um estudo piloto bem desenhado mas muito pequeno e por isso não conseguiu identificar quaisquer diferenças na dor de mulheres com câncer de ovário após a eletro acupuntura versus acupuntura sham. Um estudo conclui que a acupuntura auricular (na orelha) reduziu a dor oncológica quando comparada com acupuntura auricular sham (quando a agulha é inserida em um ponto que não é de acupuntura). Porém, é possível que as pessoas no grupo de acupuntura sham sabiam que elas não estavam no grupo da acupuntura verdadeira. Esse conhecimento pode ter afetado o nível de dor que elas relataram. Outro estudo encontrou uma diferença entre o grupo de eletro acupuntura e o grupo sham em pessoas com câncer pancreático. Porém, nesse caso também os investigadores não se preocuparam em esconder em quais grupos as pessoas se encontravam. Um estudo relatou que a acupuntura foi tão eficaz quanto analgésicos, e outro estudo relatou que a acupuntura foi mais eficaz do que remédios. Porém esses estudos foram mal desenhados e os artigos não relataram todos detalhes necessários sobre como essas pesquisas foram conduzidas

Conclusões

Nenhum dos estudos incluídos nessa revisão foi grande o suficiente para produzir resultados confiáveis. Nenhum dos estudos relatou qualquer dano aos participantes. Concluímos que não existe evidência suficiente para sabermos se acupuntura é eficaz no alívio da dor oncológica em adultos. É necessário fazer estudos maiores e bem desenhados para gerar evidências sobre esse assunto.

Conclusão dos autores: 

Não há evidência suficiente para avaliar se a acupuntura é eficaz no tratamento da dor oncológica em adultos.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Estima-se que 40% dos indivíduos com câncer em estágio inicial ou intermediário e 90% daqueles em estágio avançado tenham dor moderada a intensa e que 70% dos pacientes com dor oncológica não recebam tratamento adequado para o alívio da dor. Tem-se argumentado que a acupuntura teria um papel no manejo da dor oncológica e já existem até diretrizes sobre o uso da acupuntura para o manejo da dor oncológica. Esta é uma versão atualizada de uma Revisão Cochrane publicada originalmente em 2011 (Issue 1) sobre a acupuntura para dor oncológica em adultos.

Objetivos: 

Avaliar a eficácia da acupuntura no alívio da dor relacionada ao câncer em adultos.

Estratégia de busca: 

Para esta atualização, fizemos buscas nas seguintes bases de dados, até julho de 2015: CENTRAL, MEDLINE, EMBASE, PsycINFO, AMED e SPORTDiscus. Incluímos estudos publicados em outros idiomas além do inglês.

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados (ECRs) que avaliaram qualquer tipo de acupuntura invasiva para o manejo de adultos (com 18 anos ou mais) com dor diretamente relacionada com o câncer.

Coleta dos dados e análises: 

Planejamos combinar os dados para fornecer uma medida geral de efeito e para calcular o número necessário tratar (NNT). Porém, isso não foi possível devido à heterogeneidade dos estudos. Dois revisores (CP, OT), trabalhando de forma independentemente, extraíram e transferiram os dados para formulários de coleta de dados. Os formulários foram comparados e discutidos com um terceiro revisor (MJ), que atuou como juiz. A análise dos dados foi conduzida por CP, OT e MJ.

Resultados principais: 

Incluímos cinco ECRs (285 participantes). Três deles haviam sido incluídos na revisão original e os outros dois entraram nessa atualização. Os autores dos estudos incluídos relataram: benefícios da acupuntura no controle álgico do câncer de pâncreas; nenhuma diferença entre eletro acupuntura real versus sham para a dor associada ao câncer de ovário; benefícios da acupuntura em relação à medicação convencional em pacientes câncer avançado (não especificado); benefícios da acupuntura auricular(orelha) em relação ao placebo para a dor neuropática crônica relacionada ao câncer; e nenhuma diferença entre analgesia convencional e acupuntura dentro dos primeiros 10 dias de tratamento para o carcinoma do estômago. Todos os estudos tinham um alto risco de viés devido ao tamanho inadequado da amostra, e um baixo risco de viés para a geração da sequência de randomização. Apenas três estudos tiveram um baixo risco de viés para relato incompleto de desfechos. Dois estudos tiveram um baixo risco de viés para sigilo de alocação e um estudo tinha um baixo risco de viés para cegamento inadequado. Não pudemos combinar os dados e fazer metanálises devido à heterogeneidade dos métodos, das populações e das técnicas utilizadas nos estudos incluídos. Não pudemos fazer a análise de subgrupo da acupuntura para dor óssea induzida por câncer porque nenhum dos estudos fez qualquer referência à dor óssea. Os estudos informaram que não houve eventos adversos decorrentes do tratamento, ou simplesmente não relataram nada sobre eventos adversos.

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Cochrane do Brasil (Nathan Ferreira Moreira de Lacerda). Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save