Heparina versus salina normal para manter aberta (patência) a linha arterial

Para a maioria dos pacientes, que necessitam de tratamento intensivo, o sucesso da tomada de uma decisão clínica ou de uma intervenção depende da precisão das aferições da pressão sanguínea e do pulso obtidos pelo cateter arterial. Manter a patência destes cateteres é então essencial para minimizar desconforto ao paciente (trombose e redução do fluxo sanguíneo para o membro, infecção e escarificação da pele), e custos adicionais motivados pela necessidade de substituir um cateter obstruído. O resumo de uma revisão Cochrane apresenta o que se sabe de pesquisas disponibilizadas sobre qual a solução (heparina ou salina normal) é mais efetiva em manter a patência de cateteres arteriais em adultos. Heparina é uma droga potente, capaz de prevenir a formação de coágulos no cateter, mas a sua utilização não afasta os riscos de sangramento, de reação alérgica e de plaquetopenia. Os pacientes podem apresentar sérios eventos adversos quando a heparina é utilizada.

Um total de sete estudos controlados randomizados apresentaram critérios de inclusão e disponibilizaram o total de 606 participantes. Devido diferenças metodológicas nas quais os estudos foram desenhados, nós fomos incapazes de combinar os resultados reportados. Os resultados de estudos individuais que compararam heparina na dose de 1 a 2UI/mL sobre pressão contínua foram imprecisos e não forneceram evidência satisfatória de diferença. A dose efetiva de heparina ainda não foi determinada. Esta evidência precisa ser confirmada em ensaios clínicos futuros. Todos os estudos tem demonstrado risco moderado a alto de viés metodológico. Assim, a revisão destes ensaios clínicos, revelaram a necessidade de mais pesquisas para determinar exatamente quanto tempo um cateter preenchido com solução salina normal, pode permanecer no local e funcionante (medindo acuradamente pressão sanguínea e pulso, e fornecendo amostras de sangue para serem usadas para monitorizar oxigenação e outras variáveis).

Conclusão dos autores: 

A evidência atual é de baixa qualidade, devido ao risco de viés, e não fornece informação suficiente para suportar os efeitos da adição da heparina (1 a 2 UI/mL) como solução de manutenção (pressurizada para liberar 3mL de solução de lavagem por hora) a salina normal (0,9%) como mantenedora da patência e funcionalidade de cateters arteriais.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Para a maioria dos pacientes, que necessitam de tratamento intensivo, o sucesso da tomada de uma decisão clínica ou de uma intervenção depende da precisão de diferentes variáveis fisiológicas medidas ou obtidas de amostras de um cateter arterial. Manter a patência destes cateteres é então essencial para obter medições precisas e minimizar o desconforto ao paciente e reduzir custos adicionais quando um cateter ocluído requer substituição. Dúvida existe entre os clínicos sobre qual a melhor prática em relação à solução de preenchimento do cateter arterial (heparina ou salina). O uso de heparina é mais caro e é acompanhado de riscos significantes tais como hemorragia, hipersensibilidade e trombocitopenia induzida pela heparina (TIH)

Objetivos: 

O objetivo desta revisão foi avaliar se solução salina normal é tão eficaz e segura quanto a heparina em manter a patência de cateteres intravasculares arteriais em pacientes adultos sem alteração hematológica.

Estratégia de busca: 

Ensaios clínicos randomizados (ECRs) foram identificados através de pesquisa de banco de dados eletrônicos: Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL) 2013, Edição 1, parte do The Cochrane Library; MEDLINE (Ovid, 1966 a Março 2013); EMBASE (Ovid, 1988 a Março 2013) e CINAHL (1988 a Março 2013), usando estratégias específicas conforme orientação do Cochrane Anaesthesia Group. Nós contatactamos os autores dos ensaios clínicos para obter informações adicionais de acordo com a necessidade.

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos controlados randomizados e estudos quasi-randomizados, independentemente se cegos ou do idioma, que compararam uma solução de preenchimento do cateter arterial composta de qualquer dose de heparina versus solução salina normal somente.

Coleta dos dados e análises: 

Duas revisores independentemente selecionaram por qualidade metodológica e extraíram informações de todos estudos identificados que preencheram os critérios de inclusão do protocolo.

Resultados principais: 

Um total de setenta estudos (606 participantes) preencheram os critérios de inclusão e avaliaram os desfechos primários de interesse. Todos os estudos foram de risco incerto ou alto risco de viés. Dado o elevado grau de heterogeneidade clínica e estatística dos estudos incluídos, nenhuma meta-análise foi concluída. Os resultados de estudos individuais que compararam heparina a uma dose de 1 a 2 UI/mL sob pressão contínua foram imprecisos e não forneceram evidência definitiva de uma diferença. A diferença observada com uma dose de heparina aumentada a 4 UI/ml veio de apenas de um estudo com 30 participantes, e a qualidade dos dados reportados era pobre. Similarmente, consistência na avaliação e notificação de eventos adversos, tais como hematoma, infecção no local de inserção e isquemia de membros era pobre. Mais pesquisas com medidas de desfecho primário e secundário bem definidas, utilizando um processo de amostragem estratificada que acomoda para as diferentes doses de heparina comumente utilizados na prática clínica é necessária para confirmar as tendências observadas nos resultados de pesquisa agora relatados na literatura.

Notas de tradução: 

Tradução da Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil (Sócrates Pereira Silva) Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com Translation notes: CD007364

Tools
Information
Share/Save