Aconselhamento e educação para promover a adesão ao tratamento da tuberculose

Muitas pessoas não tomam seus medicamentos conforme foram prescritos. Nos casos de infecções crônicas e debilitantes, como a tuberculose, as consequências dessa atitude são graves e podem incluir períodos prolongados de transmissibilidade, recidiva, surgimento de bacilos (Mycobacterium tuberculosis) resistentes e aumento da morbidade e da mortalidade. Nossa revisão avaliou estudos de educação e aconselhamento na promoção da adesão ao tratamento tanto em casos de tuberculose latente (inativa) como de tuberculose ativa.

Nós identificamos três estudos com qualidade de evidência muito baixa, envolvendo um total de 1.437 participantes. Esses estudos testaram o efeito de intervenções de educação e aconselhamento de pacientes com tuberculose latente para promoção da adesão ao tratamento até o final. Dois desses estudos demonstraram efeito benéfico da educação e do aconselhamento na adesão ao tratamento medicamentoso, enquanto um deles não demonstrou.

Houve diferenças substanciais entre os estudos em relação às populações-alvo, intervenções escolhidas e resultados medidos. A evidência existente é insuficiente para orientar políticas sobre o uso da educação e do aconselhamento para promover a adesão ao tratamento da tuberculose.

Conclusão dos autores: 

As intervenções educativas ou de aconselhamento podem melhorar a conclusão do tratamento para a tuberculose latente. Como seria de se esperar, a magnitude do benefício depende da natureza da intervenção e das razões para as baixas taxas de conclusão em um determinado local.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A não adesão ao tratamento da tuberculose pode levar a períodos prolongados de transmissibilidade, recidiva, surgimento de resistência aos medicamentos e aumento da morbidade e da mortalidade. Nesta revisão, nós avaliamos se a educação do paciente ou o aconselhamento, ou ambos, promovem a adesão ao tratamento da tuberculose.

Objetivos: 

Avaliar os efeitos da educação do paciente ou do aconselhamento, ou ambos, sobre a conclusão do tratamento e a cura das pessoas em tratamento para tuberculose ativa ou latente.

Estratégia de busca: 

Nós buscamos estudos elegíveis, sem restrição de idioma, na Cochrane Infectious Diseases Group Specialized Register, Cochrane Central Register of Controlled Trials, MEDLINE, EMBASE, e LILACS. Verificamos também as listas de referências dos artigos e contatamos pesquisadores e instituições de maior relevância na área até 24 de novembro de 2011.

Critérios de seleção: 

Foram incluídos ECRs que analisaram os efeitos da educação ou do aconselhamento, ou ambos, sobre a conclusão do tratamento e a cura de pessoas com tuberculose clínica. Também foram incluídos ECRs que avaliaram as mesmas intervenções sobre a conclusão do tratamento e o desenvolvimento de tuberculose clínica em pessoas com a doença latente.

Coleta dos dados e análises: 

Avaliamos, de forma independente, a elegibilidade dos estudos identificados, sua qualidade metodológica e extraímos os dados. As diferenças foram resolvidas por consenso. Apresentamos os resultados como risco relativo (RR) com intervalos de confiança de 95% (95% CI).

Resultados principais: 

Nós encontramos três estudos, envolvendo um total de 1.437 participantes, que examinaram os efeitos de diferentes intervenções educativas e de aconselhamento na adesão ao tratamento da tuberculose latente.

Todos os três estudos relataram a proporção de pessoas que concluíram com sucesso o tratamento para tuberculose latente. No geral, as intervenções de educação ou de aconselhamento podem ajudar e aumentar o número de pacientes que concluem o tratamento, mas a magnitude do benefício é variável dependendo da natureza da intervenção e do local (dados não agrupados, 923 participantes, três estudos, evidência de baixa qualidade).

Em um estudo com quatro braços envolvendo crianças espanholas, o aconselhamento por enfermeiros via telefone aumentou a proporção de crianças que completaram o tratamento de 65% para 94% (RR 1,44, 95% CI 1,21-1,72; 157 participantes, um estudo); o aconselhamento por enfermeiros através de visitas domiciliares aumentou a conclusão do tratamento para 95% (RR 1,46, 95% CI 1,23-1,74; 156 participantes, um estudo). Ambas as intervenções foram superiores ao aconselhamento realizado por médicos no ambulatório de tuberculose (RR 1,20, 95% CI 0,98-1,47; 159 participantes, um estudo).

Nos Estados Unidos, um programa de aconselhamento por pares voltado para adolescentes não conseguiu mostrar efeito sobre as taxas de conclusão do tratamento em seis meses (RR 1,01, 95% CI 0,90-1,13; 394 participantes, um estudo). Nesse estudo, a taxa de conclusão do tratamento foi de cerca de 75%, mesmo no grupo controle.

No terceiro estudo, com prisioneiros norte-americanos, a conclusão do tratamento foi muito baixa no grupo controle (12%). No grupo de intervenção, houve aumento significativo na taxa de conclusão de tratamento (RR 1,94, 95% CI 1,03 - 3,68; 211 participantes, um estudo), porém essa taxa, ainda assim, foi de apenas 24%.

Nenhum desses estudos avaliou o efeito das intervenções sobre o desenvolvimento posterior de tuberculose ativa. Não encontramos estudos que avaliassem os efeitos da educação ou aconselhamento do paciente na adesão ao tratamento para a tuberculose ativa.

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Cochrane do Brasil (Aline De Gregori Adami)

Tools
Information
Share/Save