Acrescentar sódio na solução para manutenção de fluidos durante a cirurgia

Pergunta da revisão

Soluções que contem mais sódio do que o normal são seguras durante a cirurgia?

Introdução

Pessoas geramente requerem fluidos durante a cirurgia. Ás vezes, grande volumes de fluidos são administrados para manter um volume sanguíneo adequado, mas estes volumes podem deixar as pessoas com excesso de fluidos. Os fluidos geralmente usados durante cirurgia tem balanço salino similar ao encontrado no sangue, e por isso, são chamados de isotônicos. Soluções salinas hipertônicas (SH) tem maior concentração de sódio do que as soluções isotônicas (SI). SH podem beneficiar pessoas submetidas à cirurgia pela redução do volume total de fluido necessário.

Data da pesquisa

A evidência é atual até 8 de Abril de 2016.

Caracterísiticas do estudo

Nós incluimos 18 ensaios clínicos que compararam SH a SI em indivíduos submetidos a cirurgia Os ensaios clínicos incluiram 1087 participantes. Quinhentos e quarenta e cinco (545) participantes receberam SH e 542 receberam SI durante suas cirurgias. Os participantes foram randomicamente distribuídos em seus grupos. Os estudos foram realizados em 11 países. Participantes do estudo tinham mais que 18 anos de idade. Todos os estudos excluíram pessoas que possuíam sério risco de saúde a sua participação. Todos os estudos monitoraram os níveis de fluído durante a cirurgia e até 3 dias após.

Resultados chave

Houve sete mortes no total, três (menos que 1%) foram do grupo SI e quatro (menos que 1%) foram do grupo SH. O risco de morte foi muito baixo nestes estudos. Os estudos não reportaram ocorrência de eventos adversos graves.

Treze estudos relataram a quantidade de fluido administrado. O grupo SI recebeu uma média de 2,4L e o grupo SH recebeu 0,91L a menos (1,49 L). Maior quantidade de sódio sérico durante o curso do estudo foi relatado por 16 estudos O grupo SI teve uma mediana de 139mEq/L e no grupo SH foi 7,73mEq/L maior. O faixa normal aceitável é de 136 a 146 mEq/L.

Qualidade da evidência

Para mortes e eventos adversos, os ensaios clínicos carecem de tamanho suficiente e duração para estabelecer diferenças adequadamente. Nós consideramos que a qualidade de evidência para mortes é muito baixa, e mais estudos são necessários para mudar os resultados aqui relatados.

O relato de alta quantidade de sódio é de moderada qualidade. A mensuração de sódio sérico durante uma cirurgia é uma medição comum que é improvável de ser mal interpretada.

Conclusão dos autores: 

SH reduziu o volume de fluido intravenoso necessário para manter pessoas submetidas a cirurgias mas provocou aumento transitório do sódio sérico. Não é sabido se SH afeta a sobrevida e morbidade, mas isto deveria ser examinado em ensaios clínicos controlados randomizados que sejam desenhados e reforçados para testar estes resultados.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

O excesso de fluido pode fazer com que pessoas submetidas a cirurgias estejam expostas a várias complicações. Solução salina hipertônica (SH) mantém o volume intravascular com menos fluido intravenoso do que soluções salinas isotônicas (SI), mas podem aumentar o sódio sérico. Esta revisão foi publicada em 2010 e atualizada em 2016.

Objetivos: 

Determinar os benefícios e prejuízos de soluções SH versus SI administradas para ressuscitação de pessoas submetidas a cirurgia.

Estratégia de busca: 

Nesta revisão atualizada nós buscamos no Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL; Edição 4, 2016); MEDLINE (Janeiro de 1966 a Abril de 2016); EMBASE (Janeiro de 1980 a Abril de 2016); LILACS (Janeiro de 1982 a Abril de 2016) e CINAHL (Janeiro de 1982 a Abril de 2016) sem restrições de idioma. Nós conduzidos a busca original em 30 de Abril de 2007 e repetimos em 8 de Abril de 2016.

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados (ECRs) comparando SH a SI em pessoas submetidas a cirurgia, independente do cegamento, idioma, e estado de publicação.

Coleta dos dados e análises: 

Dois revisores independentes leram os estudos que preencheram nosso critério de seleção. Nós coletamos informações do estudo e dados usando um formulário de coleta de dados com parâmetros pré definidos. Nós avaliamos o impacto da administração de SH em mortalidade, falência de órgãos, balanço de fluidos, sódio sérico, osmolaridade sérica, diurese e medidas fisiológicas da função cardiovascular. Nós agrupamos os dados usando a diferença da média (DM) para desfechos contínuos. Nós avaliamos heterogeneidade entre os estudos pela percentagem I². Nós consideramos estudos com um I² de 0% a 30% tendo pouca ou nenhuma heterogeneidade, 30% a 60% como tendo heterogeneidade moderada, e mais do que 60% como tendo alta heterogeneidade. Nos estudos com baixa heterogeneidade nós usamos um modelo de efeito fixo, e modelo de efeito ao acaso para estudos com moderada a alta heterogeneidade.

Resultados principais: 

Nós incluimos 18 estudos com 1087 participantes dos quais 545 receberam SH comparado com 542, que receberam SI. Todos os participantes tinham mais que 18 anos de idade e todos os ensaios clínicos excluíram pacientes de alto risco (ASA IV). Todos os ensaios clínicos avaliaram parâmetros hematológicos no peri-operatório e até três dias do pós-operaratório.

Houve três mortes (<1%) relatadas no grupo SI e quatro (<1%) no grupo SH, que foi avaliado em 90 dias em um estudo. Não houve relato de eventos adversos graves. A maioria dos participantes apresentaram balanço de fluidos positivo no pós-operatório (4,4L SI e 2,5L SH), com excesso significantemente menor no grupo SH (DM -1,92 L, 95% intervalo de confiança (IC) -2,61 a -1,22 L; P < 0.00001). Participantes do grupo SI receberam um volume médio de 2,4L e os SH, receberam 1,49L, significantemente menos fluido do que o grupo tratado com SI (DM -0,91 L, IC 95% -1,24 a -0,59 L; P < 0.00001). A média máxima de sódio sérico variou entre 138,5 e 159 no grupo SH comparado com a variação entre 136 e 143 mEq/L no grupo SI. A média de sódio sérico foi significantemente maior no grupo SH (DM 7,73, IC 95% 5,84 a 9,62; P < 0.00001), embora o nível tenha permanecido dentro dos limites normais (136 a 146 meq/L).

Um alto grau de heterogeneidade parecia estar relacionado a diferenças consideráveis na dose de SH entre os estudos. A qualidade da evidência para os desfechos relatados variaram de alto a muito baixo. O risco de viés para a maioria dos estudos não pode ser determinado para a performance e detecção de vies, critério que nós acessamos como prováveis de interferir nos desfechos dos estudos.

Notas de tradução: 

Tradução da Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil (Marcelo Tabary de Oliveira Carlucci) Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com Translation notes: CD005576

Tools
Information
Share/Save