Protetores de silicone em gel para prevenir e tratar cicatrizes hipertróficas e queloides

Uma cicatriz pode se desenvolver quando alguém se recupera de um ferimento. Algumas cicatrizes podem se desenvolver de maneira anormal, formando cicatrizes hipertróficas ou queloides, que são feias, em relevo e podem causar problemas emocionais ou de movimentação nas pessoas. Esses tipos de cicatrizes são difíceis de tratar.

As cicatrizes do tipo queloide são mais comuns em peles mais escuras e ocorrem após pequenas lesões, como picadas de insetos, colocação de piercings ou vacinação. As cicatrizes queloides também podem se espalhar pela pele em volta da área da lesão. As cicatrizes hipertróficas são mais comuns em peles mais claras, e geralmente ficam restritas à área da lesão. Cicatriz hipertrófica tende a ocorrer em casos de cirurgia ou queimadura. As cicatrizes hipertróficas e os queloides tendem a se desenvolver em certas partes do corpo, como por exemplo a região inferior do rosto, pescoço e braços.

A placa de silicone em gel é um adesivo macio para ser aplicado sobre a pele intacto. Imagina-se que previna o desenvolvimento de cicatrizes anormais e também ajude a tratar as cicatrizes. Esta revisão teve objetivo de avaliar as evidências sobre se a placa de silicone em gel previne o desenvolvimento de cicatrizes anormais em pessoas com lesões recentes ou se é um tratamento efetivo para tratar cicatrizes anormais. A maioria dos estudos identificados era de baixa qualidade e não está claro se a placa de silicone em gel previne a formação de cicatriz anormal ou se é efetiva no tratamento dela.

Conclusão dos autores: 

Há evidência fraca de benefício do uso da placa de silicone em gel para prevenção de cicatrizes anormais em indivíduos de alto risco. Porém existe bastante incerteza quanto a essa conclusão devido à baixa qualidade metodológica desses estudos. Os estudos que avaliaram as placas de silicone em gel como tratamento para cicatrizes hipertróficas e para o queloide mostraram melhorias na espessura da cicatriz e na cor da cicatriz, mas também são de baixa qualidade e altamente suscetíveis ao viés.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

As cicatrizes hipertróficas e os queloides são comuns e são decorrentes da proliferação do tecido dérmico após lesão da pele. Elas causam problemas funcionais e psicológicos para os pacientes, e seu tratamento pode ser difícil. O uso de placas de silicone em gel para prevenir e tratar a cicatriz hipertrófica é um tratamento ainda relativamente novo que teve início em 1981 para o tratamento de cicatrizes de queimaduras.

Objetivos: 

Avaliar a efetividade da placa de silicone em gel para:
(1) prevenção de cicatriz hipertrófica ou queloide em pessoas com feridas cicatrizadas recentemente (por exemplo, pós-cirurgia)
; (2) tratamento de cicatrização já estabelecida em pessoas com queloides ou cicatrizes hipertróficas já existentes.

Estratégia de busca: 

Para esta segunda atualização, em maio de 2013, foram realizadas buscas nas seguintes bases de dados: Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL); Ovid MEDLINE (In-Process & Other Non-Indexed Citations); EMBASE (via Ovid); e EBSCO CINAHL.

Critérios de seleção: 

Selecionamos qualquer ensaio clínico randomizado ou quasi-randomizado e ensaios clínicos controlados que compararam placas de silicone em gel para prevenção ou tratamento de cicatrizes hipertróficas ou queloides com qualquer outro tratamento não cirúrgico, nenhum tratamento ou placebo.

Coleta dos dados e análises: 

Avaliamos todos os estudos relevantes quanto à qualidade metodológica. Três autores desta revisão extraíram os dados independentemente, usando um formulário padronizado, e compararam os resultados. Avaliamos a qualidade metodológica de todos os estudos que preencheram os critérios de seleção.

Resultados principais: 

Incluímos 20 estudos envolvendo 873 pessoas, com idades entre 1,5 e 81 anos. Os estudos comparavam adesivo de placa de silicone em gel com nenhum tratamento; curativo sem silicone; outros produtos de silicone; terapia a laser; injeção de acetato de triancinolona; extrato de cebola tópica e terapia de pressão. Nos estudos da prevenção, as placas de silicone em gel, comparadas com nenhum tratamento, reduziram a incidência de cicatriz hipertrófica em pessoas propensas à formação de cicatrizes (razão de risco, RR, de 0,46, intervalo de confiança de 95%, 95% CI, de 0,21-0,98). Porém esses estudos tinham alto risco de viés. Nos estudos de tratamento, as placas de silicone em gel produziram redução estatisticamente significativa na espessura da cicatriz (diferença média, MD, de -2,00; 95% CI de -2,14 a -1,85) e melhoria da cor da cicatriz (RR 3,49, 95% CI 1,97-6,15), mas novamente estes estudos foram altamente suscetíveis a viés.

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Cochrane do Brasil (Marcos Fernandes e Patricia Logullo).

Tools
Information
Share/Save