Enluvamento duplo para redução de infecção cirúrgica cruzada.

Operações cirúrgicas ocorrem dentro de um ambiente limpo e com os membros da equipe cirúrgica utilizando luvas estéreis. As luvas cirúrgicas estéreis tem como objetivo proteger o paciente contra contaminação de bactérias da equipe cirúrgica e proteger a equipe cirúrgica dos fluidos corporais do paciente. Enluvamento duplo (uso de dois pares de luvas) tem se tornado cada vez mais comum, especialmente em cirurgias, onde superfícies afiadas são formadas (como as cirurgias ortopédicas ou dentárias). A revisão encontrou que o segundo par de luvas de fato protege a luva interior sem, aparentemente, afetar a performance cirúrgica. Um revestimento de luvas entre os dois pares reduz as perfurações na luva interior ainda mais, e luvas mais espessas parecer ser semelhantes ao uso de dois pares

Conclusão dos autores: 

Não há evidência direta de que o uso de luvas de proteção adicionais pela equipe cirúrgica reduza a infecção do sítio cirúrgico em pacientes. Entretanto, a revisão não possui poder suficiente para este desfecho.

A adição de um segundo par de luvas cirúrgicas reduz significativamente a perfuração das luvas internas. Enluvamento triplo, luvas externas tricotadas e forro de luvas também reduzem significativamente as perfurações das luvas internas. Sistemas indicadores de perfuração aumentam significativamente a detecção de perfurações das luvas internas durante a cirurgia.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A natureza invasiva da cirurgia, com sua grande exposição a sangue, significa que durante a cirugia, há um alto risco de transferência de patógenos. Os patógenos podem ser transferidos pelo contato entre os pacientes cirúrgicos e a equipe cirúrgica, resultando em infecções pós-operatórias ou de corrente sanguínea em pacientes, ou em infecções de corrente sanguínea na equipe cirúrgica. Tanto os pacientes quanto a equipe cirúrgica precisam ser protegidos deste risco. Este risco pode ser reduzido com a implementação de barreiras protetoras, como o uso de luvas cirúrgicas. A utilização de dois pares de luvas cirúrgicas, enluvamento triplo, revestimentos de luvas ou luvas externas de tecido, em vez de um único par, é considerado uma barreira de proteção adicional e reduziria ainda mais o risco de contaminação.

Objetivos: 

O principal objetivo dessa revisão era determinar se a proteção de luvas adicionais reduz o número de infecções do sítio cirúrgico ou de corrente sanguínea em pacientes ou na equipe cirúrgica. O objetivo secundário era determinar se a proteção de luvas adicionais reduz o número de perfurações na luva interna. A luva interior (em contato com a pele) comparada com a luva externa é considerada a ultima barreira entre o paciente e a equipe cirúrgica.

Estratégia de busca: 

Para esta segunda atualização, buscamos o Wounds Group Specialised Register (Junho de 2009), o Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL) (Edição 2, 2009), Ovid MEDLINE (1950 a Maio, Semana 5, 2009), Ovid EMBASE (1980 a 2009 Semana 22) e EBSCO CINAHL (1982 a Maio, Semana 4, 2009).

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos controlados randomizados envolvendo: enluvamento simples, enluvamento duplo, enluvamento triplo, revestimento de luvas, luvas tricotadas externas, luvas externas de malha de aço e sistemas indicadores de perfuração.

Coleta dos dados e análises: 

Ambos autores avaliaram a relevância e qualidade dos estudos independentemente.. Os dados foram extraídos por um autor e avaliados quanto sua acurácia pelo segundo autor.

Resultados principais: 

Dois estudos encontrados avaliavam o desfecho primário, no caso, infecção do sítio cirúrgico em pacientes. Os dois estudos não registraram nenhuma infecção.

Trinta e um ensaios clínicos controlados randomizados avaliando as perfurações de luvas foram identificados e incluídos na revisão

Catorze estudos sobre enlaçamento duplo (uso de dois pares de luvas cirúrgicas) foram analisados e mostraram que houve significantemente mais perfurações nas luvas únicas do que na luva interna quando utilizado enluvamento duplo (OR 4.10, IC 95% 3.30 a 5.09).

Oito estudos sobre luvas indicadoras (luvas de látex colorido utilizadas por baixo das luvas de látex para alertar a equipe mais rapidamente de perfurações) mostraram que, significativamente, menos perfurações foram detectadas em luvas únicas comparadas ao uso de luvas indicadoras (OR 0.10, IC 95% 0.06 a 0.16) ou uso de dois pares de comparado com luvas indicadoras (OR 0.08, IC 95% 0.04 a 0.17).

Dois ensaios clínicos sobre uso de revestimentos de luva (uma luva feita de tecido ou polímeros utilizada entre dois pares de luvas de látex) (OR 26.36, IC 95% 7.91 a 87.82), três ensaios clínicos sobre luvas tricotadas (luvas tricotadas utilizadas por cima da luva cirúrgica de látex) (OR 5.76, IC 95% 3.25 a 10.20), e um ensaio clínico sobre enluvamento triplo (OR 69.41, IC 95% 3.89 a 1239.18), todos comparados com uso de dois pares de luvas de látex, mostraram que houve significativamente mais perfuração na luva interna quando usados apenas dois pares de luvas de látex em todas as comparações.

Notas de tradução: 

Notas de tradução CD003087.pub2

Tools
Information
Share/Save