Uma versus duas vezes ao dia de injeção de heparina de baixo peso molecular para o tratamento inicial do coágulo de sangue nas veias

Coágulos de sangue nas veias (tromboembolia venosa) podem se desenvolver espontaneamenteu após cirurgia ou repouso no leito. A tromboembolia venosa (TEV) pode ser uma doença fatal se os coágulos forem para os pulmões. As drogas para afinar o sangue como heparina são usadas para dissolver coágulos. A heparina de baixo peso molecular (HBPM) pode ser administrada por injeção possibilitando a alta hospitalar dos pacientes. O tratamento usual consiste em duas aplicações diárias de injeção; entretanto a aplicação única diária poderia ser mais conveniente. Esta revisão incluiu cinco estudos com a combinação total de 1.508 participantes. Os dados combinados não demonstraram diferença estatisticamente significante na recorrência de TEV entre o regime de tratamento diário único e duas vezes ao dia. A comparação de eventos de sangramento maior, melhora no tamanho do coágulo de sangue e morte também não demonstrou diferença estatisticamente significante entre os dois regimes de tratamento. Nenhum dos cinco estudos incluídos reportaram informações sobre síndrome pós trombótica (dor, alteração na pele e inchaço da perna afetada). A aplicação única diária de injeção com HBPM é portanto, tão efetiva e segura quanto à aplicada duas vezes ao dia.

Conclusão dos autores: 

O regime de aplicação única diária com HBPM é tão seguro e efetivo quanto ao de duas vezes ao dia.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

No tratamento inicial de tromboembolia venosa (TEV) a heparina de baixo peso molecular (HBPM) é administrada uma ou duas vezes ao dia. O regime de tratamento de aplicação única diária é mais conveniente para o paciente e pode otimizar o tratamento domiciliar. Entretanto, não está muito claro se o regime de aplicação única diária é tão seguro e efetivo quanto ao de duas vezes ao dia. Esta é a segunda atualização da primeira revisão publicada em 2003.

Objetivos: 

Comparar a eficácia e segurança de HBPM administrada uma vez versus duas vezes ao dia.

Estratégia de busca: 

Para esta atualização o coordenador de buscas de ensaios clínicos do the Cochrane Peripheral Vascular Diseases Group pesquisou na base de dados the Specialised Register (última busca em Maio de 2013) e na CENTRAL (2013, fascículo 4).

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos randomizados dos quais a HBPM administrada uma vez ao dia é comparada à duas vezes ao dia para o tratamento inicial de TEV.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores avaliaram independentemente os ensaios clínicos para inclusão e extração dos dados.

Resultados principais: 

Cinco estudos foram incluídos com total de 1.508 participantes. Os dados combinados não mostraram diferença estatisticamente significante na recorrência de TEV entre os dois regimes de tratamento (Razão de chances (RC) 0,82; IC 95% 0,49 a 1,39; P=0,47). A comparação de eventos de hemorragia maior (RC 0,77; IC 95% 0,40 a 1,45; P=0,41), melhora do tamanho do trombo (RC 1,41; IC 95% 0,66 a 3,01; P=0,38) e mortalidade (RC 1,14; IC 95% 0,62 a 2,08; P=0,68) também não apresentaram nenhuma diferença estatisticamente significante entre os dois regimes de tratamento. Nenhum dos cinco estudos incluídos reportaram dados sobre a síndrome pós trombótica.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Hugo Hyung Bok Yoo, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save