Antibióticos para pneumonia adquirida na comunidade em pacientes ambulatoriais adolescentes e adultos

Pergunta da Revisão

Esta revisão estudou os efeitos dos antibióticos em adolescentes e adultos com pneumonia adquirida e tratada na comunidade (em oposição a pneumonia adquirida no hospital e / ou sendo o tratamento da pneumonia no hospital). A evidência está atualizada até março de 2014

Cenário

Infecção do trato respiratório inferior é a terceira principal causa de morte no mundo e a primeira causa de morte nos países de baixa renda. Pneumonia, ou infecção dos pulmões, é uma condição comum que representa uma carga de doença significativa para a comunidade. Pneumonia é especialmente grave em crianças menores de cinco anos, em pessoas idosas e pessoas com outras doenças que podem afetar seu sistema imunológico (como a diabetes ou o HIV / AIDS, ou transplantados receptores de órgãos sólidos). Os antibióticos são o tratamento mais comum para a pneumonia e estes podem variar na sua eficácia e efeitos adversos.

Características do estudo

Foram identificados 11 estudos (com 3.352 participantes com mais de 12 anos com diagnóstico de pneumonia adquirida na comunidade), publicados integralmente em revistas e jornais, com foco no tratamento de pneumonia em adolescentes e adultos tratados na comunidade em regime ambulatorial. Isto compreende cinco novos estudos incluídos, desde a última revisão publicada em 2009. Nenhum dos estudos avaliou antibióticos versus placebo; todos os ensaios incluíram um ou mais antibióticos. Todos os participantes foram diagnosticados com pneumonia com base em diagnóstico clínico pelo médico e raio-x de tórax.

Fontes de financiamento do estudo

Todos os ensaios incluídos foram bem conduzidos; nove dos 11 ensaios foram patrocinados por empresas bio-farmacêuticas que fabricam os antibióticos utilizados no estudo, ou seus autores estavam muito ligados com a empresa.

Resultados chave

Nove dos ensaios incluídos compararam antibióticos diferentes e, portanto, não pudemos combinar os resultados dos ensaios individuais para apresentar a nossa conclusão geral. Houve alguns eventos adversos notáveis em sete estudos: 1) eritromicina demonstrou efeitos colaterais gastrointestinais significativos em relação à claritromicina em dois estudos; 2) nemonoxacino demonstrou maiores eventos adversos gastrointestinais (náuseas, diarreia) e do sistema nervoso (tonturas, dor de cabeça) em comparação com a levofloxacina; 3) cetromicina demonstrou mais efeitos colaterais, especialmente a alteração do paladar, do que a claritromicina; 4) gastrite e diarréia foram mais comuns no grupo de alta dose de amoxicilina (1 g três vezes por dia) em comparação com os outros três grupos de antibióticos (claritromicina, azitromicina e levofloxacina)

Conclusão

Infelizmente, não houve ensaios suficientes para comparar os efeitos dos diferentes antibióticos para pneumonia adquirida e tratada na comunidade.

Conclusão dos autores: 

A evidência obtida dos ECR recentes é insuficiente para fazer novas recomendações baseadas em evidências para a escolha do antibiótico a ser utilizado para o tratamento da PAC em regime ambulatorial. Partilha de dados dos estudos foi limitada pelo número muito baixo de estudos que avaliaram os mesmos pares de antibióticos. Estudos individualizados, não revelaram diferenças significativas na eficácia entre os vários antibióticos e grupos de antibióticos. No entanto, dois estudos encontraram significativamente mais eventos adversos com o uso de cetromicina em comparação com claritromicina e nemonoxacina quando comparada com levofloxacina. Comparações entre múltiplas drogas que utilizam esquemas de administração semelhantes são necessárias para fornecer evidências para recomendações práticas. Mais estudos com foco no diagnóstico, gestão, relação custo-efetividade e uso indevido de antibióticos na PAC e ITRI são justificáveis em países de alta, média e baixa renda.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Infecção do trato respiratório inferior (ITRI) é a terceira maior causa de morte no mundo e a primeira causa de morte nos países de baixa renda. Pneumonia adquirida na comunidade (PAC) é uma condição comum que provoca uma carga de doença significativa para a comunidade, principalmente em crianças menores de cinco anos, os idosos e imunocomprometidos. Antibióticos são o tratamento padrão para PAC No entanto, aumentar o uso de antibióticos está associada com o desenvolvimento de resistência bacteriana e de efeitos colaterais para o paciente. Vários estudos têm sido publicados sobre o tratamento antibiótico ideal para a PAC, mas muitos destas informações abordam o tratamento em pacientes hospitalizados. Esta é uma atualização da nossa Revisão Cochrane de 2009 e aborda as terapias antibióticas para PAC em regime ambulatorial.

Objetivos: 

Comparar a eficácia e segurança de diferentes tratamentos com antibióticos para PAC em participantes maiores de 12 anos atendidos em regime ambulatorial em relação a desfechos clínicos, radiológicos e bacteriológicos.

Estratégia de busca: 

Foram pesquisados CENTRAL (2014, Edição 1), MEDLINE (janeiro de 1966 a terceira semana de março de 2014), EMBASE (janeiro 1974 a março de 2014), CINAHL (2009 a março de 2014), Web of Science (2009 a março de 2014) e LILACS (de 2009 a março de 2014).

Critérios de seleção: 

Nós procuramos por ensaios clínicos randomizados (ECR), publicados integralmente em revistas e jornais, de antibióticos versus placebo, bem como antibióticos versus outro antibiótico para o tratamento da PAC em regime ambulatorial em participantes com mais de 12 anos de idade. Entretanto, não encontramos nenhum estudo comparando antibiótico versus placebo Assim, essa revisão inclui ECRs com um ou mais antibióticos, que reportaram os critérios de diagnóstico e descreveram os resultados clínicos considerados para inclusão nesta revisão.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores da revisão (MLB, TV) avaliaram independentemente as descrições dos estudos na primeira publicação. Na atualização de 2009, LMB realizou a seleção de estudos, que foram verificados por TJMV e MMK. Nesta atualização de 2014, dois autores da revisão (SP, SM) realizaram de forma independente a seleção e a verificação dos estudos. Entramos em contato com os autores dos estudos para resolver quaisquer ambiguidades nos relatórios dos estudos. Nós compilamos e analisamos os dados. Resolvemos diferenças entre autores da revisão por discussão e consenso.

Resultados principais: 

Foram incluídos 11 ECR nesta atualização da revisão (3352 participantes com mais de 12 anos com diagnóstico de PAC); 10 ECRs avaliaram nove pares de antibióticos (3.321 participantes) e um ECR avaliou quatro antibióticos (31 participantes) em pessoas com PAC. A qualidade dos estudos foi geralmente boa, com algumas diferenças na extensão dos relatos. As diversidades clínicas, bacteriológicas e eventos adversos foram reportados. Em geral, não houve diferença significativa na eficácia entre os diversos antibióticos. Estudos que avaliaram claritromicina e amoxicilina forneceram apenas dados descritivos sobre o desfecho primário. Embora a maioria dos eventos adversos foram similares entre todos os antibióticos, nemonoxacina demonstrou eventos adversos gastrointestinais e do sistema nervoso mais elevados quando comparada com levofloxacina, enquanto cetromicina demonstrou significativamente mais efeitos colaterais do sistema nervoso, especialmente disgeusia, quando comparada com a claritromicina. Da mesma forma, a amoxicilina em alta dose (1 g três vezes por dia) foi associada a uma maior incidência de gastrite e diarréia em comparação com claritromicina, azitromicina e levofloxacina.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Cláudio José Rubira, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil Contato:portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save