Suporte e educação ao paciente para promoção da aderência às terapias antirretrovirais altamente ativas para HIV/aids

Pessoas vivendo com HIV/aids necessitam atingir altos níveis de aderência para se beneficiarem de vários regimes antiretrovirais. Esta revisão identificou 19 estudos, envolvendo um total de 2,159 participantes, que avaliaram uma intervenção com a intenção de melhorar a aderência. Dez desses estudos demonstraram um efeito benéfico da intervenção. Nós encontramos que intervenções que focaram na praticidade da administração da medicação, aquelas que administraram a intervenção para os indivíduos versus grupos, e aquelas administradas por 12 semanas ou mais foram associadas com uma melhora da aderência para terapias antiretrovirais. Também verificamos que intervenções dirigidas a populações marginalizadas como mulheres, latinos, ou pacientes com passado de alcoolismo não foram bem sucedidas para melhorar a aderência. Nós não encontramos estudos que avaliaram a qualidade do relacionamento paciente-provedor no ambiente clínico. A maioria dos estudos tinha deficiências metodológicas.

Conclusão dos autores: 

Encontramos evidências para apoiar a efetividade das intervenções de suporte e educação ao paciente com intenção de melhorar a aderência à terapias antiretrovirais. As intervenções que focam nas habilidades práticas para administração de medicação, intervenções administradas individualmente versus a grupos, e intervenções realizadas por 12 semanas ou mais foram mais associadas com melhoras nos desfechos de aderência. Existe a necessidade de padronização e melhora do rigor metodológico para conduzir ensaios de aderência.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A aderência aos regimes prescritos é necessária para oferecer benefício máximo dos muitos regimes de terapias antirretrovirais altamente ativas (HAART) em pessoas com HIV/aids.

Objetivos: 

Conduzir uma revisão sistemática da literatura sobre a efetividade do suporte e educação ao paciente para melhorar a aderência às HAART.

Estratégia de busca: 

Uma busca sistemática de bases de dados eletrônicas foi realizada de janeiro de 1996 a maio de 2005.

Critérios de seleção: 

Os ensaios clínicos randomizados que examinaram a efetividade do suporte e educação ao paciente para melhorar a aderência às HAART foram considerados para inclusão. Foram incluídos somente os estudos que mensuraram a aderência por um tempo mínimo de seis semanas

Coleta dos dados e análises: 

A seleção dos estudos, as avaliações da qualidade e a extração dos dados foram realizadas de maneira independente por dois autores.

Resultados principais: 

Dezenove estudos envolvendo um total de 2,159 participantes atenderam aos critérios de inclusão. Não foi possível conduzir uma metanálise devido à heterogeneidade dos estudos relacionada às populações, intervenções, comparações dos grupos, aos desfechos, e à duração dos seguimentos. O tamanho das amostras variou de 22 a 367. As populações estudadas variaram entre populações HIV-positivas em geral, estudos que focaram exclusivamente em crianças, mulheres, latinos, ou adultos com um histórico de dependência alcóolica e estudos que focaram quase que exclusivamente, em homens. As intervenções testadas incluíram terapia cognitiva comportamental, entrevista motivacional, estratégias para administrar a medicação e intervenções indiretamente focando aderência, como os programas direcionados para redução de comportamentos de risco sexual. Dez estudos demonstraram um efeito benéfico da intervenção na aderência. Verificamos que intervenções que focam nas habilidades práticas para administração de medicação, aquelas que administradas para indivíduos versus grupos e aquelas intervenções administradas por 12 semanas ou mais foram associadas com melhora nos desfechos de aderência. Também verificamos que intervenções que focaram em populações marginalizadas, como mulheres, latinos ou pacientes com histórico de alcoolismo, não obtiveram sucesso para melhorar a aderência. Não fomos capazes de determinar se as intervenções eficientes de aderência foram associadas com a melhora dos desfechos virológicos ou imunológicos. A maioria dos estudos tinha deficiências metodológicas, deixando-os vulneráveis a potenciais vieses.

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Cochrane do Brasil (Maíra Tristão Parra)

Tools
Information
Share/Save