O uso de embalagens padronizadas para os produtos do tabaco pode reduzir o uso de tabaco?

Contexto

O consumo de tabaco mata mais pessoas em todo o mundo do que qualquer outra causa evitável de morte. A melhor maneira de reduzir o consumo de tabaco é impedir que as pessoas comecem a usar tabaco e encorajar e ajudar os usuários existentes a parar. Isso pode ser feito através da introdução de políticas que podem atingir um grande número de pessoas em um país, juntamente com a oferta de tratamento individual e apoio às pessoas que já estão usando o tabaco para ajudá-los a parar. Muitos países introduziram proibições sobre a publicidade ao tabaco, mas não controlaram a aparência da própria embalagem de tabaco. As embalagens de tabaco podem ser coloridas e atraentes, com formas e tamanhos novos e excitantes. A embalagem padronizada do tabaco é uma política governamental que remove esses desenhos, por exemplo, permitindo apenas que as embalagens de tabaco sejam de uma cor, forma ou tamanho. Embalagens padronizadas geralmente envolve o uso da mesma cor uniforme em todas as embalagens de tabaco, sem imagens de marca, e a marca registrada em uma fonte, cor e tamanho especificados. Os avisos de saúde e outras informações que os governos desejam colocar nas embalagens podem permanecer. A Austrália foi o primeiro país a introduzir embalagens padronizadas de tabaco em dezembro de 2012. A França foi o segundo em janeiro de 2017. Vários outros países estão no processo de introduzir embalagens padronizadas e ainda mais têm planos de o fazer. Examinamos se embalagens padronizadas reduzem o uso do tabaco.

Características do estudo

Pesquisamos nove bases de dados para artigos que avaliassem embalagens padronizadas que já haviam sido revisadas por acadêmicos e publicadas antes de janeiro de 2016. Também verificamos referências nesses artigos a outros estudos e contactamos os autores quando necessário.

Principais resultados

Encontramos 51 estudos envolvendo aproximadamente 800.000 participantes. Estes estudos variaram consideravelmente. Alguns estudos forcaram-se no efeito da embalagem padronizada na Austrália e olharam para os níveis globais de tabagismo, se os fumadores alteraram o seu comportamento, como reduzir o número de cigarros que fumavam e se os fumadores estavam a realizar mais tentativas de parar. Também incluímos experiências em que as pessoas usavam ou visualizavam pacotes de tabaco padronizados e examinavam suas respostas, em comparação com quando eles viam embalagens de marca. Também incluímos estudos que avaliaram os movimentos dos olhos das pessoas quando olhavam pacotes diferentes e como as pessoas estavam dispostas a comprar e quanto estavam dispostas a pagar, padronizadas em comparação com as embalagens de marca.

Apenas cinco estudos analisaram os nossos principais resultados. Um estudo na Austrália analisou os dados de 700.000 pessoas antes e depois de embalagens padronizadas serem introduzidas. Este estudo constatou que houve uma queda de meio ponto percentual na proporção de pessoas que usaram tabaco após a introdução de embalagens padronizadas, em comparação com antes, após ajustar por outros fatores. Quatro outros estudos analisaram se os fumadores alteraram o número de cigarros que fumavam. Dois estudos Austrálianos analisaram isto, um usando inquéritos a 8811 fumadores, e não encontrou nenhuma alteração no número de cigarros fumados. Os três estudos mais pequenos encontraram resultados inconclusivos. Dois outros estudos observaram um aumento nas tentativas de cessão tabágica na Austrália após introdução de embalagens padronizadas. Os restantes estudos analisaram outros resultados e a conclusão mais consistente foi que embalagens padronizadas reduziram o quão atraentes as pessoas encontraram as embalagens comparadas com as embalagens de marca. Nenhum estudo relatou o número de pessoas que deixaram de usar tabaco, o número de pessoas que começaram a usar tabaco, ou o número de pessoas que voltaram a usar tabaco depois de parar.

Qualidade da evidência

A certeza nestas constatações é limitada por várias razões, incluindo as dificuldades envolvidas no estudo de políticas nacionais como a embalagem padronizada. No entanto, achados sugerindo embalagens padronizadas podem diminuir o uso do tabaco são suportados por dados de rotina do governo australiano e estudos que analisam outros resultados. Por exemplo, nos estudos incluídos, as pessoas encontraram consistentemente pacotes padronizados menos atraentes do que os pacotes de marca. Não encontramos nenhuma evidência sugerindo que embalagens padronizadas possam aumentar o uso do tabaco.

Notas de tradução: 

Tradução por Gonçalo S Duarte, Laboratório de Farmacologia Clínica e Terapêutica, Faculadade de Medicina, Universidade de Lisboa, com o apoio da Cochrane Portugal

Tools
Information
Compartilhar/salvar