Licopeno para a prevenção do câncer de próstata

O câncer de próstata é um tipo de câncer comum que afeta os homens em todo o mundo. Alguns remédios, como os inibidores da 5-alfa redutase, seriam capazes de reduzir a incidência de câncer de próstata. Muitos homens modificam seu estilo de vida e consomem remédios complementares e alternativos para manter uma melhor saúde e prevenir doenças. Tem sido sugerido que a ingestão de suplementos de licopeno poderia ajudar a prevenir o câncer de próstata, devido aos seus efeitos antioxidantes. O objetivo desta revisão sistemática foi avaliar a efetividade do licopeno na prevenção do câncer de próstata. Esta revisão identificou 3 estudos relevantes que incluíram um total de 154 participantes. Dois dos estudos foram avaliados como tendo alto risco de viés. A metanálise (combinação dos resultados) de dois estudos indicou que não havia nenhuma diferença estatística nos níveis do antígeno prostático específico (PSA) entre homens randomizados para receber o licopeno e o grupo de comparação (diferença média de -0,34, intervalo de confiança de 95% de -2,01 a 1,32). Nenhum dos estudos avaliou a mortalidade por câncer da próstata. Nenhuma outra metanálise foi possível porque havia apenas um estudo para os outros desfechos de interesse.

Conclusões dos autores: 

Dado que apenas três estudos clínicos randomizados foram incluídos nesta revisão sistemática, sendo que dois deles tinham um alto risco de viés, as evidências são insuficientes para recomendar ou refutar o uso do licopeno para a prevenção do câncer de próstata. Da mesma forma, não existem evidências robustas provenientes dos estudos para saber qual é o impacto do consumo de licopeno sobre a incidência de câncer de próstata, dos sintomas da próstata, dos níveis de PSA ou sobre eventos adversos.

Leia o resumo na íntegra...
Introdução: 

Câncer de próstata é uma causa comum de morte nos países desenvolvidos, contudo, os benefícios dos exames de rastreamento para câncer de próstata ainda permanecem controversos. O resultado do exame do antígeno prostático específico (PSA) maior que 4 ng/mL (nanogramas/mililitro) é geralmente utilizado como o nível de corte para indicar a realização de outros exames para diagnosticar a presença (ou ausência) do câncer de próstata. Um aumento nos níveis de PSA nem sempre indica risco aumentado de câncer de próstata, uma vez que homens com hiperplasia prostática benigna e prostatite também podem ter níveis elevados de PSA. A despeito da incerteza do benefício real da detecção e tratamento precoces do câncer de próstata, métodos seguros e eficazes para prevenir o câncer de próstata têm valor. Os consumidores têm buscado se envolver mais com os cuidados de sua saúde e consequentemente vez mais procuram modificar seu estilo de vida e usar medicamentos complementares e alternativos (MCA) para cuidar da saúde e prevenir doenças. O licopeno é uma substância que faz parte da família dos carotenoides, sendo encontrado em grande quantidade nos tomates, nos produtos à base de tomate, nos morangos e nas melancias. Existe a hipótese de que o licopeno, por ser um antioxidante potente, poderia diminuir o risco de desenvolver vários tipos de cânceres (incluindo o câncer da próstata) em pessoas que têm dietas ricas em nessa substância.

Objetivos: 

O principal objetivo foi avaliar se o licopeno reduz a incidência de câncer de próstata e a mortalidade específica por câncer da próstata. Como objetivos secundários, esta revisão avaliou se existe uma associação entre o uso do licopeno e modificações nos níveis de PSA, sintomas da próstata e eventos adversos associados com o uso do licopeno.

Estratégia de busca: 

Pesquisas eletrônicas foram conduzida nas bases MEDLINE, EMBASE e Central Register of Controlled Trials (CENTRAL), sem restrição de língua ou outras limitações.

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos randomizados que investigaram o uso do licopeno para a prevenção do câncer de próstata foram elegíveis para inclusão nesta revisão.

Coleta dos dados e análises: 

A pesquisa nas bases de dados electrônicas, realizada em agosto de 2011, identificou 64 citações. Todos os artigos foram selecionados para leitura na íntegra e três estudos foram selecionados para inclusão na revisão uma vez que preenchiam os critérios de seleção. Nenhum outro estudo foi identificado através de buscas manuais.

Principais resultados: 

Três ECR, com um total de 154 participantes, foram incluídos nesta revisão. Nenhum dos estudos relatou dados sobre a mortalidade por câncer de próstata. Todos os estudos incluídos diferiam em relação ao desenho do estudo, participantes incluídos e alocação de licopeno. Essa heterogeneidade clínica limita o valor global estimado das metanálises. A análise da qualidade metodológica dos três estudos incluídos indica que dois deles tinham um alto risco de viés. A metanálise indicou que não há diferença estatística nos níveis de PSA entre homens randomizados para receber o licopeno e o grupo de comparação (diferença média, MD, -0,34, intervalo de confiança de 95%, 95% CI, de -2,01 a 1,32). Apenas um estudo relatou a incidência de câncer de próstata (10% no grupo licopeno contra 30% no grupo controle). O nível de licopeno também não foi estatisticamente diferente em homens randomizados para receber o licopeno e o grupo de comparação: MD 0,39 µ g/mL (microgramas/mililitro), com 95% CI de -0,19 a 0,98. Nenhuma outra metanálise foi possível porque havia apenas um estudo para os outros desfechos de interesse.

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Cochrane do Brasil (Arnaldo Alves da Silva).

Tools
Information
Share/Save