Suplementação de vitamina A para prevenir cegueira causada por sarampo em crianças

Introdução

A cada ano, 500.000 crianças tornam-se cegas no mundo; 75% delas vivem em países de baixa renda. As principais causas de cegueira nas crianças variam de acordo com a região e estão relacionadas às condições de vida nas comunidades. Nos países de baixa renda, as principais causas de cegueira são cicatrizes oculares devido ao sarampo, deficiência de vitamina A, uso de remédios oculares tradicionais e nocivos e infecção ocular nos recém-nascidos. A vitamina A é um importante nutriente que é essencial para o funcionamento normal dos olhos. A deficiência dessa vitamina leva a prejuízos para a visão.

O sarampo em crianças foi associado com deficiência de vitamina A e cegueira. A prevenção da cegueira em crianças é considerada um assunto de alta prioridade pela Organização Mundial da Saúde dentro do seu programa VISÃO 2020: O Direito à Visão. Alguns estudos mostraram o efeito benéfico da vitamina A na redução da carga de doença e no risco de morte em crianças com sarampo. Esta revisão avaliou o uso de vitamina A para prevenir a cegueira em crianças com sarampo, que não tinham sinais clínicos anteriores de deficiência de vitamina A.

Características do estudo

Incluímos dois ensaios clínicos randomizados (ECRs) de qualidade moderada. Esses estudos incluíram um total de 260 crianças com sarampo e compararam crianças que receberam vitamina A versus aquelas que não receberam vitamina A.

Principais resultados

Esta revisão incluiu todos estudos que haviam sido publicados até dezembro de 2015. As crianças com sarampo que estavam internadas e que receberam duas doses de vitamina A (em dois dias consecutivos) tiveram um aumento na concentração sanguínea dessa vitamina A após uma semana. Porém, nenhum dos dois estudos apresentou dados sobre cegueira ou outros problemas oculares nas crianças com sarampo. Os estudos não relataram efeitos adversos da suplementação da vitamina. Não há evidência suficiente para demonstrar os benefícios ou problemas relacionados ao uso da vitamina A para prevenir cegueira em crianças com sarampo.

Qualidade da evidência

A qualidade dos métodos e da evidência de ambos os estudos foi moderada. O número de crianças incluídas nos estudos (tamanho amostral) foi relativamente pequeno, o que pode afetar a acurácia dos resultados.

Conclusões dos autores: 

Nós não encontramos nenhum ECR que avaliasse se a suplementação de vitamina A poderia prevenir a cegueira em crianças com sarampo.

Leia o resumo na íntegra...
Introdução: 

Baixas concentrações de vitamina A aumentam o risco de cegueira em crianças infectadas com o vírus do sarampo. A suplementação de vitamina A em crianças com sarampo contribui para o controle da cegueira infantil, que é um tema de alta prioridade do Programa da Organização Mundial da Saúde VISÃO 2020: O Direito à Visão.

Objetivos: 

Avaliar a eficácia da vitamina A para prevenir a cegueira em crianças com sarampo e que não tinham evidência clínica anterior de deficiência de vitamina A.

Estratégia de busca: 

Fizemos buscas nas seguintes bases de dados: CENTRAL 2015, Issue 11, MEDLINE (1950 à terceira semana de dezembro de 2015), Embase (1974 a dezembro de 2015) e LILACS (1985 a dezembro de 2015).

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados (ECRs) que avaliaram a eficácia da vitamina A para prevenir a cegueira em crianças com sarampo, que eram bem nutridas e sem evidência clínica anterior de deficiência de vitamina A.

Coleta dos dados e análises: 

Na revisão original desta revisão, dois autores avaliaram independentemente os estudos elegíveis e extraíram os dados dos desfechos reportados. Contatamos os autores dos ECRs incluídos para obter informações adicionais sobre dados não publicados. Incluímos dois ECRs com heterogeneidade clínica. Apresentamos os resultados dos desfechos contínuos como diferença média (DM) com intervalo de confiança (IC) de 95% Para os desfechos dicotômicos, usamos o risco relativo (RR) com IC 95%. Devido à grande heterogeneidade clínica, julgamos que seria inadequado fazermos uma metanálise.

Principais resultados: 

Na primeira publicação desta revisão, dois ECRs preencheram os critérios de inclusão. Esses estudos incluíram 260 crianças com sarampo e compararam o uso de vitamina A versus placebo. Nenhum dos estudos incluiu cegueira ou outras morbidades oculares entre seus desfechos. Um estudo de qualidade metodológica moderada encontrou aumento significante do retinol sérico no grupo tratado com vitamina A depois de uma semana da administração de duas doses da vitamina: DM 9,45 µg/dL, IC 95% 2,19 a 16,71; 17 participantes, evidência de qualidade moderada. Porém esse efeito não foi mais identificado seis semanas após a administração de três doses de vitamina A: DM 2,56 µg/dL, IC 95% -5,28 a 10,40; 39 participantes, evidência de qualidade moderada. Após a administração de três doses de vitamina A,não houve diferença significativa no ganho de peso avaliado após seis semanas (DM 0,39 kg, -0,04 a 0,82; 48 participantes, evidência de qualidade moderada) nem após seis meses (DM 0,52 kg, IC 95% IC -0,08 a 1,12; 36 participantes, evidência de qualidade moderada).

O segundo estudo não encontrou diferença estatisticamente significativa no nível sérico de retinol duas semanas após administrar uma dose única de vitamina A: DM 2,67 µg/dL, IC 95% IC -0,29 a 5,63; 155 participantes, evidência de qualidade moderada. Após administrar uma dose única de vitamina A, não houve diferença significativa na porcentagem de crianças subnutridas entre os dois grupos após uma semana (RR 0,93; IC 95% 0,56 a 1,54; 145 participantes) ou após duas semanas (RR 0,82; IC 95% 0,52 a 1,29; 147 participantes). Não foram reportados eventos adversos em nenhum estudo. Não encontramos novos ECRs que pudessem ser incluídos nessa segunda atualização da revisão.

Notas de tradução: 

Tradução do Cochrane Brazil (Julia Pozzetti Daou). Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save