Comparação de duas formas de anestesia para cirurgia de catarata

A catara é a principal causa de cegueira mundialmente. A catarata é a opacificação da lente intraocular natural, diminuindo a tranparência do olho. É tratada através da substituição da lente opacificada por uma nova lente artificial. A cirurgia de catarata é rotineiramente realizada com anestesia local ou anestesia peribulbar ou retrobulbar. Existe uma discussão se a abordagem peribulbar promove uma anestesia mais efetiva e segura para a cirurgia de catarata do que a abordagem retrobulbar. A anestesia peribulbar é realizada através da injeção do anestesico ao redor da orbita no equador (meio) do globo ocular. A anestesia retrobulbar é realizada através da injeção do anestesico na orbita, numa posição mais atrás do globo ocular, próximo da inervação sensitiva e motora do olho.

Nós comparamos as duas formas de anestesia local para cirurgia de catarata. Nossa revisão mostra que o controle da dor e a paralisia da musculatura ocular que causa ausência de movimentos do olho (acinesia) e, portanto, permite a realização da cirurgia, não foram diferentes com os dois tipos de anestesia. A necessidade de complementação de anestésico com injeções adicionais foi maior no com a anestesia peribulbar (quatro estudos). Apenas um caso de sangramento atrás do olho ocorreu com a anestesia retrobulbar (um estudo). A aceitação dos dois métodos pelos pacientes foram similares nos dois estudos que relataram esse desfecho. Nenhum dos estudos relatou complicações potencialmente fatais. Existe um risco moderado de viés nos estudos incluídos.

Conclusões dos autores: 

Há poucas diferenças na escolha entre o bloqueio peribulbar e o retrobulbar em termos de anestesia e acinesia durante a cirurgia, quando avaliamos a aceitação dos pacientes, a necessidade de injeções adicionais e desenvolvimento de complicações graves. Complicações locais ou sistêmicas graves foram raras para ambos os tipos de bloqueios

Leia o resumo na íntegra...
Introdução: 

Catarata é a principal causa de cegueira mundialmente. Ao menos que exista alguma contra-indicação, a cirurgia de catarata é realizada com anestesia local (regional). A anestesia local envolve o bloqueio de nervos que suprem uma determinada região do corpo. Ela envolve a infiltração da área ao redor do nervo com anestésico local. As principais abordagens no olho são a retrobulbar e a peribulbar. Existe um debate se a abordagem peribulbar causa uma anestesia mais efetiva e segura para a cirurgia de catarata do que o bloqueio retrobulbar.

Objetivos: 

O objetivo dessa revisão foi revisar os efeitos da anestesia peribulbar (PB) comparado a anestesia retrobulbar (RB) nas escalas de dor, acinesia ocular, aceitação do paciente e complicações oculares e sistêmicas.

Estratégia de busca: 

Na versão anterior dessa revisão, nós buscamos nas bases de dados até Dezembro de 2007. Nessa versão de atualização, nós procuramos a Cochrane Central Register of Controled Trial (CENTRAL) (Março de 2015); MEDLINE (1960 a Março de 2015); e EMBASE (1980 a Março de 2015).

Critérios de seleção: 

Nós incluimos estudos clinicos randomizados comparando a anestesia peribulbar e retrobulbar para a cirurgia de catarata.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores avaliaram, independentemente, a qualidade dos ensaios e extraíram os dados. Nós contactamos os autores dos estudos para obter informações adicionais, metodologia do estudo e dados não encontrados. Realizou-se uma narrativa descritiva dos resultados visto que os estudos incluídos utilizaram métodos variados para relatar os resultados . Nós realizamos uma análise de subgrupo para acinesia ocular.

Principais resultados: 

Foram incluídos seis estudos envolvendo 1438 participantes. Três dos seis estudos tinham adequada geração de sequência enquanto todos os ensaios tinham ocultação de alocação incerta. Não há nenhuma evidência de diferença na percepção da dor durante a cirurgia com anestesia retrobulbar ou anestesia peribulbar . Ambos foram efetivos. Não há evidência de qualquer diferença na acinesia completa como na necessidade de injeções complementares de anestesico local. A quemose conjuntival foi mais comum depois do bloqueio peribulbar (risco relativo (RR) 2.11, intervalo de confiança (IC) 95% 1,46 a 3,05) e hematoma ocular foi mais comum após o bloqueio retrobulbar (RR 0,36, IC 95% 0,15 a 0,88). Hemorragia retrobulbar era incomum e ocorreu apenas uma vez, em um paciente que tinha um bloqueio retrobulbar.

Notas de tradução: 

Tradução da Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil (Clovis Tadeu Bueno da Costa) Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com Translation notes: CD004083

Tools
Information
Share/Save