Uma comparação entre implantes de lentes intraoculares multifocais e monofocais utilizados em cirurgia de catarata

A tradução não está atualizada. Por favor clique aqui para ver a versão mais recente em inglês desta revisão.

Conforme as pessoas envelhecem, às vezes, a lente do olho torna-se turva, levando à perda da visão. A lente opaca ou catarata pode ser removida, e uma lente substituta pode ser colocada em seu lugar. No passado, as lentes de substituição tinham um "ponto de foco", seja à distância ou para perto (lentes “monofocais”). Isto significa que o uso de óculos era necessário para a focagem em outros pontos, por exemplo, para a leitura. Novas lentes que fornecem dois ou mais pontos de foco (lentes “multifocais”) foram desenvolvidas. Estas são projetadas para evitar a necessidade de óculos. Encontramos 16 ensaios clínicos randomizados, com mais de 1.600 pessoas, envolvendo tanto lentes multifocais quanto monofocais. . Indivíduos que tinham lentes multifocais foram menos propensos a precisar do uso de óculos. Eles tinham a mesma acuidade visual para ver a distância, em relação às pessoas que tinham lentes monofocais, mas apresentaram melhor acuidade visual para visão de perto. As lentes multifocais apresentaram desvantagens: as pessoas com essas lentes foram mais propensas a ver halos ao redor das luzes e tiveram redução da sensibilidade ao contraste (capacidade de distinguir um objeto contra um fundo que é semelhante ao objeto em si). Os implantes de lentes multifocais reduziram a dependência de óculos após a cirurgia da catarata, mas à custa de nitidez. Por fim, caberá ao paciente decidir qual tipo de lente ele prefere.

Conclusões dos autores: 

As LIOs multifocais são mais efetivas para melhorar a visão de perto em comparação às monofocais. A prevalência dos benefícios sobre os efeitos adversos das LIOs multifocais é variável entre pacientes. A motivação para alcançar a independência dos óculos é, provavelmente, o fator decisivo.

Leia o resumo na íntegra
Introdução: 

Uma boa acuidade visual à distância e, sem auxílio, é agora uma expectativa realista após a realização da cirurgia de catarata e da implantação de lentes intraoculares (LIO). A visão de perto, no entanto, ainda requer uma potência de refração adicional, geralmente sob a forma de óculos de leitura. As LIOs com várias ópticas (multifocais) estão disponíveis e visam permitir uma boa visão em uma gama de distâncias. Ainda não está claro se esse benefício adquirido com o uso das LIOs multifocais supera os comprometimentos óticos inerentes ao seu uso.

Objetivos: 

O objetivo desta revisão foi avaliar os efeitos de LIOs multifocais, incluindo efeitos sobre a acuidade visual, satisfação visual subjetiva, dependência de óculos, brilho e sensibilidade ao contraste, em comparação com lentes monofocais padrão em pacientes submetidos a cirurgia de catarata.

Estratégia de busca: 

Foram pesquisadas as bases de dados CENTRAL (que contém a the Cochrane Eyes and Vision Group Trials Register) (The Cochrane Library 2012, fascículo 2), MEDLINE (Janeiro de 1946 a Março de 2012), EMBASE (Janeiro de 1980 a Março de 2012), o metametaRegister of Controlled Trials (mRCT) (www.controlled-trials.com), ClinicalTrials.gov (www.clinicaltrials.gov)e o WHO Internacional Clinical Trials Registry Plataform (ICTRP) (www.who.int/ictrp/search/en). Não foram usadas quaisquer restrições de dados ou idioma nas pesquisas eletrônicas para ensaios clínicos. As bases de dados eletrônicas foram procuradas até o dia 6 de Março de 2012. Foram também pesquisadas as listas de referência de artigos relevantes e contato com os investigadores dos estudos incluídos e com os fabricantes de LIOs multifocais para obter informações sobre estudos adicionais publicados e não publicados.

Critérios de seleção: 

Todos os ensaios clínicos randomizados que compararam LIO multifocal de qualquer tipo com LIO monofocal como controle foram incluídos. Ensaios clínicos de implantação unilateral e bilateral foram incluídos.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores coletaram os dados e avaliaram a qualidade dos estudos. Sempre que possível, os dados de estudos individuais foram agrupados usando um modelo de efeito randômico, caso contrário, estes foram tabulados.

Principais resultados: 

Foram identificados 16 ensaios clínicos concluídos (1.608 participantes) e dois ensaios clínicos em andamento. Todos os estudos incluídos compararam lentes multifocais com as monofocais, entretanto, havia uma variedade considerável de marcas e modelos das lentes implantadas. No geral, os ensaios clínicos foram considerados sob risco de resultados e detecção de viés, pois o mascaramento dos pacientes e dos avaliadores dos desfechos foi de difícil realização. Também houve dificuldade na avaliação dos desfechos seletivos reportados. Evidência de qualidade moderada mostrou que a acuidade visual à distância é conseguida de maneira semelhante com os dois tipos de lentes (Risco relativo (RR) para a acuidade visual sem ajuda inferior a 6/6: 0,98, intervalo de confiança (IC) de 95% 0,91-1,05). Também houve evidências de que pessoas com lentes multifocais tiveram melhor visão para perto, mas a heterogeneidade metodológica e estatística implicou na ausência de cálculo de uma estimativa agrupada para o efeito sobre a visão de perto. A independência de uso de óculos foi atingida com mais frequência em LIOs multifocais em relação às monofocais. Fenômenos subjetivos visuais adversos, particularmente halos ou anéis em torno de luzes, foram mais prevalentes e problemáticos em pacientes com LIO multifocal e houve evidências de redução da sensibilidade ao contraste com as lentes multifocais.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Joyce Godoy Farat, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brasil Contato:portuguese.ebm.unit@gmail.com

Compartilhar/salvar