Exercício e dieta ou apenas exercício como prevenção de diabetes mellitus tipo 2

A tradução não está atualizada. Por favor clique aqui para ver a versão mais recente em inglês desta revisão.

Exercício e dieta ou apenas exercício como prevenção de diabetes mellitus tipo 2 O diabetes tipo 2 (DM2) caracteriza-se pelo aumento do açúcar no sangue. A doença é causada pela diminuição da capacidade do hormônio insulina de estimular a absorção do açúcar circulante (glicose) pelas células gordurosas e musculares (resistência insulínica), e também pela secreção insuficiente da insulina.

Há evidências de que a redução do peso e o aumento do gasto diário de energia diminuem a resistência insulínica. A obesidade, o diabetes gestacional, a hipertensão, o histórico familiar de DM2, a dislipidemia (aumento das taxas de gordura no sangue) e alguns grupos étnicos são considerados fatores de risco para a doença. Pessoas com “pré- diabetes” (aquelas com valores anormais de glicose sanguínea, porém mais baixos do que no diabetes), também estão propensas ao DM2. Normalmente, esse quadro precede o DM2.

Nesta revisão, procuramos por estudos que avaliaram intervenções que pudessem prevenir o desenvolvimento do DM2 em pessoas de risco para a doença. Avaliamos os efeitos de exercícios físicos isolados ou combinados com dieta sobre a incidência do DM2 e sobre outros desfechos Foram incluídos oito estudos com 2241 participantes randomizados para dieta mais exercício e 2509 participantes que receberam apenas orientações habituais. Além disso, 178 participantes foram randomizados apenas para exercícios e 167 para dieta apenas. A duração das intervenções variou de um a seis anos. As intervenções variaram entre os estudos, mas, em geral, consistiram em restrição calórica (caso a pessoa estivesse acima do peso), dieta com baixo teor de gordura (especialmente saturada) e rica em carboidratos complexos e aumento da ingestão de fibras. A atividade física também variou entre os estudos, porém em geral consistia de pelo menos 150 minutos de exercícios por semana, na forma de caminhada vigorosa e outras atividades como ciclismo ou corrida leve. Na maioria dos casos, as intervenções eram individuais e supervisionadas por um fisioterapeuta, um fisiologista do exercício e um nutricionista. A prática de exercícios associada à dieta levaram a uma redução de 37% na incidência de DM2 (redução do risco relativo). Esta intervenção também teve efeitos favoráveis sobre o peso corporal, a circunferência abdominal e a pressão arterial dos participantes.

São necessários mais estudos sobre os efeitos do exercício isolado na prevenção do diabetes. Nenhum dos estudos avaliou desfechos como morbidade cardiovascular relacionada ao DM2, mortalidade por todas as causas ou qualidade de vida.

Conclusões dos autores: 

Intervenções que combinam atividade física com dieta diminuem a incidência de DM2 em grupos de alto risco para a doença (pessoas com intolerância à glicose ou síndrome metabólica). São necessários mais estudos para avaliar os efeitos de exercícios de forma isolada e também para verificar os efeitos do exercício associado à dieta sobre a qualidade de vida e sobre a morbidade e a mortalidade, com um foco específico nos desfechos cardiovasculares.

Leia o resumo na íntegra
Introdução: 

A incidência de diabetes tipo 2 (DM2) está associada ao estilo de vida ocidental, principalmente com relação à alimentação e à atividade física. Uma intervenção rigorosa envolvendo dieta e exercícios poderia prevenir ou adiar o desenvolvimento do diabetes em pessoas de alto risco.

Objetivos: 

Avaliar os efeitos do exercício ou do exercício aliado à dieta para prevenção do DM2.

Estratégia de busca: 

As fontes consultadas para identificar estudos potencialmente elegíveis a serem incluídos nesta revisão sistemática foram: The Cochrane Library, MEDLINE, EMBASE, CINAHL, LILACS, SocioFile, plataformas de registros de estudos em andamento e listas de referências de revisões relevantes.

Critérios de seleção: 

Foram incluídos ensaios clínicos randomizados e controlados, envolvendo exercícios e dieta, com duração de seis meses ou mais, que relataram a incidência de DM2 em pessoas de alto risco para a doença.

Coleta dos dados e análises: 

Dois pesquisadores verificaram a qualidade dos estudos e extraíram os dados de forma independente. Os autores foram contatados para a obtenção de dados adicionais. A incidência de DM2 e os desfechos secundários foram analisados por meio de metanálises, usando o modelo de efeito randômico.

Principais resultados: 

Foram incluídos oito estudos que avaliaram o efeito de exercícios em conjunto com dieta (2.241 participantes) versus recomendações habituais (2.509 participantes). Dois estudos compararam apenas dieta (167 participantes) versus exercícios (178 participantes). A duração dos estudos variou entre um e seis anos. De forma geral, o grupo de exercícios com dieta teve uma redução significativa no risco de DM2 em comparação com o que recebeu recomendações habituais (RR 0.63, IC 95% 0.49 – 0.79). O primeiro grupo também teve redução de peso, do índice de massa corporal, da relação cintura-quadril e da circunferência abdominal. Porém, houve muita heterogeneidade estatística nesses últimos desfechos. A dieta somada a exercícios teve efeito pequeno sobre os lipídeos sanguíneos. Por outro lado, estas intervenções tiveram um efeito benéfico sobre os níveis pressóricos (diferença média padronizada - 4 mmHg, IC 95% -5 a -2 na sistólica e -2 mmHg, IC 95% -3 a -1 na diastólica). Não houve diferença estatisticamente significante na incidência de DM2 entre o grupo tratado com exercício isolado comparado com orientações habituais ou com dieta isolada. Nenhum dos estudos apresentou dados sobre morbidade cardiovascular relacionada ao diabetes, mortalidade ou qualidade de vida.

Compartilhar/salvar