Intervenções para o tratamento de escabiose

A escabiose é uma infecção parasitária da pele. Ela ocorre em todo o mundo, mas é particularmente problemática em áreas de saneamento deficiente, com superlotação, e problemas sociais, sendo endêmica em muitos países pobres. A prevalência global de escabiose é estimado em 300 milhões de casos, mas o nível de infecção varia entre países e comunidades. O ácaro feminino forma tocas na pele para botar ovos que eclodem fora e se multiplicam. A infecção pode se espalhar de pessoa para pessoa através do contato direto da pele, incluindo o contato sexual É algo que provoca prurido intenso com erupções na pele. Vários medicamentos têm sido desenvolvidos para o tratamento de escabiose, e os medicamentos fitoterápicos e tradicionais também são utilizados. A revisão de ensaios clínicos tentou cobrir todos estes. Os autores identificaram 22 ensaios clínicos pequenos envolvendo 2.676 pessoas, com 19 dos ensaios clínicos que ocorrem países com poucos recursos. Permetrina pareceu ser o tratamento tópico mais eficaz para escabiose, e ivermectina pareceu ser um tratamento oral eficaz. No entanto, a ivermectina não tem licença para esta indicação em muitos países. Os eventos adversos, tais como erupções cutâneas, vômitos e dor abdominal foram relatados, mas os ensaios clínicos eram pequenos demais para avaliar adequadamente os potenciais efeitos adversos graves, mas raros. Não foram identificados ensaios clínicos de medicamentos fitoterápicos ou tradicionais para a inclusão.

Conclusões dos autores: 

Permetrina tópica parece ser o tratamento mais eficaz para escabiose. Ivermectina parece ser um tratamento oral eficaz. É necessária mais pesquisa sobre a eficácia de malathion, particularmente quando comparado com permetrina, e sobre o manejo da sarna em um ambiente institucional e ao nível da comunidade.

Leia o resumo na íntegra
Introdução: 

A escabiose é uma infecção parasitária com intenso prurido da pele causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei . É um problema de saúde pública comum com uma prevalência global estimada de 300 milhões de casos. Efeitos adversos graves têm sido relatados para algumas drogas usadas para tratar sarna.

Objetivos: 

Avaliar medicações tópicas e sistêmicas para o tratamento de escabiose.

Estratégia de busca: 

Em Junho de 2010, buscamos no Cochrane Infectious Diseases Group Specialized Register, CENTRAL (The Cochrane Library 2010, edição 2), MEDLINE, EMBASE, LILACS, e INDMED. Em Agosto de 2010, também buscamos a literatura e as fontes para os ensaios clínicos registrados. Também verificamos as listas de referência de estudos recuperados.

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos controlados randomizados de tratamentos com drogas para escabiose.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores avaliaram independentemente a qualidade dos ensaios e os extraíram os dados. Os resultados foram apresentados como razões de risco com intervalo de confiança de 95% e de dados combinados, quando apropriado.

Principais resultados: 

Vinte e dois pequenos ensaios clínicos envolvendo 2.676 pessoas foram incluídas. Um ensaio clínico foi controlado por placebo, 18 compararam dois ou mais tratamentos de droga, três compararam regimes de tratamento, e um comparou diferentes veículos de drogas.

Ocorreram poucas falhas do tratamento por sete dias com ivermectina oral comparada com placebo em um pequeno ensaio clínico (55 participantes). Permetrina tópica apareceu mais eficaz do que a ivermectina oral (140 participantes, 2 ensaios clínicos), crotamiton tópica (194 participantes, 2 ensaios clínicos), e lindano tópica (753 participantes, 5 ensaios clínicos). A permetrina também apareceu mais eficaz na redução da persistência do prurido do que qualquer crotamiton (94 participantes, um ensaio clínico) ou lindano (490 participantes, 2 ensaios clínicos). Não foi detectada diferença entre permetrina (um piretróide sintético) e um tratamento tópico à base de piretrina natural (40 participantes, um ensaio clínico), e entre permetrina e benzoato de benzilo (53 participantes, um ensaio clínico), porém ambos os ensaios clínicos eram pequenos.

Nenhuma diferença significante foi detectada no número de falhas de tratamento entre crotamiton e lindano (100 participantes, um ensaio clínico), lindano e enxofre (68 participantes, um ensaio clínico), benzoato de benzilo e enxofre (158 participantes, um ensaio clínico) e benzoato de benzilo e piretrinas intensificadas naturais (240 participantes, um ensaio clínico); todos foram tratamentos tópicos. Não foram identificados ensaios clínicos de malathion.

Não foram relatados eventos adversos graves. Um número de ensaios clínicos relatou reações cutâneas em participantes randomizados para tratamentos tópicos. Houve relatos ocasionais de dor de cabeça, dor abdominal, diarreia, vómitos e hipotensão.

Notas de tradução: 

Notas de tradução CD000320

Tools
Information
Compartilhar/salvar